Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo observou assinaturas metabolômicas plasmáticas em lesões gástricas pré-cancerosas que evoluem para câncer

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notcia

Assinaturas de metabólitos1 principais podem ser observadas em lesões2 gástricas que progridem para câncer3 gástrico?

A desregulação metabólica desempenha um papel importante no desenvolvimento do câncer3 gástrico (CG). Mas, até o momento, nenhum estudo explorou de forma abrangente os perfis metabolômicos ao longo da cascata de lesões2 gástricas em direção ao CG.

Nesse contexto, o objetivo deste estudo publicado pelo JAMA Network Open foi traçar uma paisagem metabólica e definir assinaturas metabolômicas associadas à progressão de lesões2 gástricas e risco de CG precoce.

Leia sobre "Metabolismo4 - como funciona", "Câncer3 de estômago5" e "O que são gastrites6".

Um estudo de coorte7 populacional de 2 estágios foi iniciado em 2017 no condado de Linqu, província de Shandong, China, uma área de alto risco para CG. O acompanhamento prospectivo8 foi realizado durante a fase de validação (20 de junho de 2017 a 27 de maio de 2020).

Um total de 400 indivíduos foram incluídos com base no Programa Nacional de Detecção Precoce do Câncer3 Gastrointestinal Superior da China. A fase de descoberta envolveu 200 indivíduos com diferentes lesões2 gástricas ou CG (neoplasia9 intraepitelial de alto grau ou CG invasivo). A etapa de validação envolveu prospectivamente 152 indivíduos com lesões2 gástricas que foram acompanhados por 118 a 1.063 dias e 48 indivíduos com CG.

Os perfis metabolômicos e as assinaturas dos metabólitos1 foram examinados com base no ensaio metabólico plasmático não direcionado.

Os principais desfechos e medidas foram o risco de CG geral e CG precoce (neoplasia9 intraepitelial de alto grau) e progressão de lesões2 gástricas.

Dos 400 participantes, 124 de 200 (62,0%) no conjunto de descoberta eram homens; a idade média (DP) foi de 56,8 (7,5) anos. No conjunto de validação, 136 de 200 (68,0%) eram homens; a idade média (DP) foi de 57,5 ​​(8,1) anos.

Perfis metabolômicos distintos foram observados para lesões2 gástricas e CG. Seis metabólitos1, incluindo ácido α-linolênico, ácido linoléico, ácido palmítico, ácido araquidônico, sn-1 lisofosfatidilcolina (LysoPC) (18:3) e sn-2 LysoPC (20:3) foram significativamente inversamente associados ao risco de CG em geral e CG precoce (neoplasia9 intraepitelial de alto grau).

Entre esses metabólitos1, os 3 primeiros foram significativamente inversamente associados à progressão da lesão10 gástrica, especialmente para a progressão da metaplasia intestinal (ácido α-linolênico: OR, 0,42; IC 95%, 0,18-0,98; ácido linoléico: OR, 0,43; IC 95%, 0,19-1,00; e ácido palmítico: OR, 0,32; IC 95%, 0,13-0,78).

Em comparação com modelos que incluem apenas idade, sexo, infecção11 por Helicobacter pylori e achados histopatológicos gástricos, a integração desses metabólitos1 melhorou significativamente o desempenho para prever a progressão das lesões2 gástricas (área sob a curva [AUC], 0,86; IC 95%, 0,70-1,00 vs AUC, 0,69; IC 95%, 0,50-0,88; P = 0,02) e o risco de CG precoce (AUC, 0,83; IC 95%, 0,58-1,00 vs AUC, 0,61; IC 95%, 0,31-0,91; P = 0,03).

Assim, neste estudo, perfis metabolômicos plasmáticos distintos foram observados para lesões2 gástricas pré-cancerosas e câncer3 gástrico. As assinaturas de metabólitos1, particularmente o ácido α-linolênico, o ácido linoléico e o ácido palmítico, foram associadas à progressão das lesões2 gástricas e ao risco de câncer3 gástrico precoce.

Os resultados deste estudo sugerem, portanto, que o ácido α-linolênico, ácido linoléico e ácido palmítico podem ser biomarcadores significativos para avaliar populações de alto risco e diagnóstico12 precoce de câncer3 gástrico, beneficiando a prevenção e controle do câncer3 gástrico nos cuidados de saúde13.

Veja também sobre "Prevenção do câncer3", "Refluxo ou Doença do Refluxo Gastroesofágico14" e "Úlcera Péptica15".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 22 de junho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo observou assinaturas metabolômicas plasmáticas em lesões gástricas pré-cancerosas que evoluem para câncer. Disponvel em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1397975/estudo-observou-assinaturas-metabolomicas-plasmaticas-em-lesoes-gastricas-pre-cancerosas-que-evoluem-para-cancer.htm>. Acesso em: 26 out. 2021.

Complementos

1 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
2 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
4 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
5 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
6 Gastrites: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
7 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
8 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
9 Neoplasia: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
15 Úlcera péptica: Lesão na mucosa do esôfago, estômago ou duodeno. Também chamada de úlcera gástrica ou duodenal. Pode ser provocada por excesso de ácido clorídrico produzido pelo próprio estômago ou por medicamentos como antiinflamatórios ou aspirina. É uma doença infecciosa, causada pela bactéria Helicobacter pylori em quase 100% dos casos. Os principais sintomas são: dor, má digestão, enjôo, queimação (azia), sensação de estômago vazio.
Gostou do artigo? Compartilhe!