Gostou do artigo? Compartilhe!

Maior consumo de alimentos ultraprocessados na infância está associado a maiores aumentos na adiposidade até o início da idade adulta

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os relatos de associações entre maior consumo de alimentos ultraprocessados ​​(AUP) e riscos elevados de obesidade1, doenças não transmissíveis e mortalidade2 em adultos estão aumentando. No entanto, associações de consumo de AUP com trajetórias de adiposidade de longo prazo nunca foram investigadas em crianças.

Neste estudo, publicado no JAMA Pediatrics, pesquisadores avaliaram as associações longitudinais entre o consumo de AUP e as trajetórias de adiposidade da infância ao início da idade adulta.

Este estudo prospectivo3 de coorte4 de nascimentos incluiu crianças que participaram do Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC) em Avon County, sudoeste da Inglaterra. As crianças foram acompanhadas dos 7 aos 24 anos de idade durante o período do estudo de 1º de setembro de 1998 a 31 de outubro de 2017. Os dados foram analisados ​​de 1º de março de 2020 a 31 de janeiro de 2021.

Saiba mais sobre "Entendendo a obesidade1", "Obesidade1 infantil" e "Criança fora do peso ideal - o que fazer".

Os dados de ingestão dietética de base foram coletados usando diários alimentares de 3 dias. O consumo de AUP (aplicando o sistema de classificação de alimentos NOVA) foi calculado como uma porcentagem da contribuição do peso na ingestão alimentar diária total para cada participante e categorizado em quintis.

Registros repetidos de dados antropométricos avaliados objetivamente (índice de massa corporal5 [IMC6], peso e circunferência da cintura) e medidas de absortometria de raio-x de energia dupla (índices de massa gorda7 e magra [calculados como massa gorda7 e massa magra8, respectivamente, divididas pela altura em metros ao quadrado] e percentual de gordura9 corporal). As associações foram avaliadas usando modelos de curva de crescimento linear e foram ajustadas para as covariáveis ​​do estudo.

Um total de 9.025 crianças (4.481 [49,7%] do sexo feminino e 4.544 [50,3%] do sexo masculino) foram acompanhadas por uma mediana de 10,2 (intervalo interquartil, 5,2-16,4) anos. O consumo médio (DP) de AUP na linha de base foi de 23,2% (5,0%) no quintil10 1, 34,7% (2,5%) no quintil10 2, 43,4% (2,5%) no quintil10 3, 52,7% (2,8%) no quintil10 4, e 67,8% (8,1%) no quintil10 5.

Entre aqueles no quintil10 mais alto de consumo de AUP em comparação com sua contraparte do quintil10 mais baixo, as trajetórias de IMC6 aumentaram um adicional de 0,06 (IC 95%, 0,04-0,08) por ano; índice de massa gorda7, um adicional de 0,03 (IC 95%, 0,01-0,05) por ano; peso, um adicional de 0,20 (IC 95%, 0,11-0,28) kg por ano; e circunferência da cintura, um adicional de 0,17 (IC 95%, 0,11-0,22) cm por ano.

Assim, neste estudo as trajetórias de crescimento do índice de massa corporal5, índice de massa gorda7, peso e circunferência da cintura de 7 a 24 anos de idade foram maiores entre as crianças com o quintil10 mais alto (vs mais baixo) de consumo de alimentos ultraprocessados.

Esses achados sugerem, portanto, que o maior consumo de alimentos ultraprocessados está associado a maiores aumentos na adiposidade da infância ao início da idade adulta. Medidas robustas de saúde11 pública que promovam e removam as barreiras ao acesso a alimentos minimamente processados, ​​e reduzam a exposição das crianças e seu consumo de alimentos ultraprocessados são urgentemente necessárias para reduzir a obesidade1 na Inglaterra e em todo o mundo.

Leia sobre "Composição corporal - como avaliar e melhorar", "O que é uma alimentação saudável", "Tratando a obesidade1" e "Peso ideal e como calculá-lo".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 14 de junho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Maior consumo de alimentos ultraprocessados na infância está associado a maiores aumentos na adiposidade até o início da idade adulta. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1397055/maior-consumo-de-alimentos-ultraprocessados-na-infancia-esta-associado-a-maiores-aumentos-na-adiposidade-ate-o-inicio-da-idade-adulta.htm>. Acesso em: 21 out. 2021.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
9 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
10 Quintil: 1. Em estatística, diz-se de ou qualquer separatriz que divide a área de uma distribuição de frequência em cinco domínios de áreas iguais. O termo quintil também é utilizado, por vezes, para designar uma das quintas partes da amostra ordenada. 2. Em astronomia, é o aspecto de dois planetas distantes 72° entre si (distância angular correspondente a um quinto do Zodíaco). 3. Em matemática, é o mesmo que quíntico. A palavra quintil deriva do latim quintus, que significa quinto.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!