Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo relata menor risco de acidente vascular cerebral após abstinência de álcool em pacientes com fibrilação atrial incidente

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo de coorte1 nacional de base populacional, publicado pelo European Heart Journal, teve como objetivo avaliar a associação entre o consumo de álcool (e suas alterações) após o diagnóstico2 de fibrilação atrial (FA) e o risco de acidente vascular cerebral3 isquêmico4.

Usando o banco de dados de reivindicações e exames de saúde5 a nível nacional da Coréia, foram incluídos indivíduos que foram recentemente diagnosticados com fibrilação atrial entre 2010 e 2016.

Os pacientes foram classificados em três grupos de acordo com o status de consumo de álcool antes e após o diagnóstico2 de FA: não bebedores; abstêmios de álcool após o diagnóstico2 de FA; e bebedores atuais.

O desfecho primário foi acidente vascular cerebral3 isquêmico4 incidente6 durante o acompanhamento. Não bebedores, abstêmios e bebedores atuais foram comparados usando diferenças de taxa de incidência7 após a probabilidade inversa de ponderação de tratamento (PIPT).

Entre um total de 97.869 pacientes com FA recém-diagnosticados, 51% não bebiam, 13% eram abstêmios e 36% bebiam atualmente. Durante 310.926 pessoas-ano de acompanhamento, 3.120 pacientes foram diagnosticados com acidente vascular cerebral3 isquêmico4 incidente6 (10,0 por 1000 pessoas-ano).

No acompanhamento de 5 anos, abstêmios e não bebedores foram associados a um risco menor de AVC do que os bebedores atuais (diferenças na taxa de incidência7 após PIPT, -2,03 [-3,25, -0,82] para abstêmios e -2,98 [-3,81, -2,15] para não bebedores, por 1000 pessoas-ano, respectivamente; e taxas de taxa de incidência7 após PIPT, 0,75 [0,70, 0,81] para não bebedores e 0,83 [0,74, 0,93] para abstêmios, respectivamente).

O estudo concluiu que o consumo atual de álcool foi associado a um risco aumentado de AVC isquêmico4 em pacientes com fibrilação atrial recém-diagnosticada, e a abstinência de álcool após o diagnóstico2 de fibrilação atrial poderia reduzir o risco de AVC isquêmico4.

A intervenção no estilo de vida, incluindo atenção ao consumo de álcool, deve ser incentivada como parte de uma abordagem abrangente para o manejo da fibrilação atrial, visando melhorar os resultados clínicos.

Saiba mais sobre "Fibrilação atrial: o que é", "Como manter mais baixo o risco do consumo de bebidas alcoólicas" e "Acidente Vascular Cerebral3".

 

Fonte: European Heart Journal, publicação em 07 de junho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo relata menor risco de acidente vascular cerebral após abstinência de álcool em pacientes com fibrilação atrial incidente. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1396910/estudo-relata-menor-risco-de-acidente-vascular-cerebral-apos-abstinencia-de-alcool-em-pacientes-com-fibrilacao-atrial-incidente.htm>. Acesso em: 4 ago. 2021.

Complementos

1 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
7 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!