Gostou do artigo? Compartilhe!

A redução da proteína tau acetilada é neuroprotetora em lesões cerebrais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Destaques

Lesão1 cerebral induz acetilação da proteína tau neuronal semelhante à doença de Alzheimer2

• A lesão1 cerebral neurodegenerativa é refletida pelos níveis sanguíneos de acetilação da tau em camundongos e humanos

• Diminuir a acetilação da tau após lesão1 cerebral em múltiplas vias de sinalização tem efeito neuroprotetor

• Os medicamentos inibidores da acetilação da tau estão associados à redução da doença neurodegenerativa


O traumatismo3 cranioencefálico (TCE) é o maior fator de risco4 não genético e não relacionado ao envelhecimento para a doença de Alzheimer2 (DA). Nessa pesquisa, publicada na revista Cell, relata-se que o TCE induz a acetilação da proteína tau (ac-tau) em locais acetilados também no cérebro5 humano com DA.

Isso é mediado pela enzima6 GAPDH S-nitrosilada, que simultaneamente inativa a Sirtuína 1 deacetilase e ativa a p300/CBP acetiltransferase, aumentando a ac-tau neuronal. A localização incorreta subsequente da tau causa neurodegeneração e comprometimento neurocomportamental, e a tau acetilada se acumula no sangue7.

O bloqueio da S-nitrosilação da GAPDH, a inibição de p300/CBP ou a estimulação da Sirtuína 1 todas protegem camundongos da neurodegeneração, do comprometimento neurocomportamental e do acúmulo de tau acetilada no sangue7 e no cérebro5 após TCE.

A acetilação da tau é, portanto, um alvo terapêutico e potencial biomarcador sanguíneo de traumatismo3 cranioencefálico que pode representar convergência patológica entre TCE e Doença de Alzheimer2.

A ac-tau aumentada no cérebro5 humano com DA é ainda mais aumentada em pacientes com DA com história de TCE, e os pacientes que recebem os inibidores de p300/CBP salsalato ou diflunisal apresentam incidência8 diminuída de Doença de Alzheimer2 e traumatismo3 cranioencefálico clinicamente diagnosticado.

Leia sobre "Traumatismos cranianos", "Mal de Alzheimer9" e "Concussão cerebral10".

 

Fonte: Cell, publicação em 13 de abril de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. A redução da proteína tau acetilada é neuroprotetora em lesões cerebrais. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1393670/a-reducao-da-proteina-tau-acetilada-e-neuroprotetora-em-lesoes-cerebrais.htm>. Acesso em: 16 jun. 2021.

Complementos

1 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
3 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
4 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
10 Concussão cerebral: Perda imediata da consciência no momento de um trauma, mas recuperável em 24 horas ou menos e sem seqüelas. Acompanha-se de amnésia retrógrada e pós-traumática, isto é, o paciente não se recorda do trauma, dos momentos que o antecederam, nem de eventos imediatamente posteriores. Hoje a tendência é considerar a concussão como resultante de um grau leve de lesão axonal difusa.
Gostou do artigo? Compartilhe!