Gostou do artigo? Compartilhe!

Intervenção no estilo de vida em grávidas com obesidade afeta a metilação do DNA do cordão umbilical, que está associada à composição corporal da prole

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A obesidade1 e o diabetes tipo 22 estão aumentando em todo o mundo, assim como a prevalência3 de obesidade1 em grávidas. A obesidade1 durante a gravidez4 aumenta o risco de resultados adversos à saúde5 na prole, incluindo macrossomia6 e obesidade1 infantil, o que pode ser explicado por um ambiente intrauterino metabolicamente adverso.

A prevalência3 de obesidade1 infantil, que está associada a um risco aumentado de obesidade1 na idade adulta, síndrome metabólica7 e morte precoce, mais que dobrou entre 1980 e 2015. Maior aumento de peso e altura na infância está associado a maior massa magra8 e menor risco de síndrome metabólica7 na idade adulta. Portanto, uma maior massa magra8 durante a infância pode proteger contra doenças metabólicas futuras.

Leia sobre "Obesidade1", "Obesidade1 infantil" e "Recomendação de ganho de peso durante a gestação".

Como o ganho de peso gestacional (GPG) afeta a saúde5 da mãe e da prole, o Instituto de Medicina dos Estados Unidos recomenda mulheres com IMC9 pré-gestacional > 30 kg/m² para limitar seu GPG a 5-9 kg. O presente estudo, publicado na revista Diabetes10, da American Diabetes10 Association, relata que o GPG pode ser reduzido por intervenções no estilo de vida e foi positivamente associado à massa gorda11 em bebês12 nascidos de mães com obesidade1 e à ingestão de carboidratos no final da gravidez4. Posteriormente, as intervenções no estilo de vida podem melhorar o perfil cardiometabólico de grávidas com obesidade1 e de seus filhos.

Nesse contexto, sabe-se que a obesidade1 materna pode levar a alterações epigenéticas na prole e, portanto, contribuir para doenças mais tarde na vida. O estudo investigou, então, se uma intervenção no estilo de vida em grávidas com obesidade1 está associada à variação epigenética no sangue do cordão umbilical13 e na composição corporal da prole.

A metilação do DNA de todo o genoma foi analisada no sangue14 do cordão umbilical15 de 208 filhos do estudo Tratamento de Mulheres Grávidas Obesas (TOP), que inclui grávidas com obesidade1 randomizadas para intervenções de estilo de vida compostas de atividade física com ou sem aconselhamento dietético versus indivíduos de controle (cuidados padrão).

A metilação do DNA foi alterada em 379 locais, anotados para 370 genes, no sangue do cordão umbilical13 de filhos de mães após uma intervenção no estilo de vida versus indivíduos de controle (taxa de descoberta falsa [TDF] <5%) ao usar o método livre de referência de Houseman para corrigir para a composição celular, e três desses locais foram significativos com base na correção de Bonferroni. Esses 370 genes estão sobrerrepresentados em termos de ontologia gênica, incluindo resposta a ácidos graxos e desenvolvimento do tecido adiposo16.

Filhos de mães incluídas em uma intervenção de estilo de vida nasceram com mais massa magra8 em comparação com indivíduos de controle. A metilação em 17 locais, anotada para, por exemplo, DISC1, GBX2, HERC2 e HUWE1, medeia parcialmente o efeito da intervenção no estilo de vida na massa magra8 da prole (TDF <5%).

Além disso, 22 locais de metilação foram associados aos escores z de IMC9 da prole durante os primeiros 3 anos de vida (P <0,05).

Em geral, as intervenções no estilo de vida em grávidas com obesidade1 estão associadas a mudanças epigenéticas na prole, potencialmente influenciando a massa magra8 da prole e o crescimento inicial.

Veja também sobre "Composição corporal - Como avaliar e como melhorar", "Razões para fazer exercícios durante a gestação" e "Dieta saudável na gravidez4".

 

Fonte: Diabetes10, Vol. 70, Nº 4, em 19 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Intervenção no estilo de vida em grávidas com obesidade afeta a metilação do DNA do cordão umbilical, que está associada à composição corporal da prole. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1391210/intervencao-no-estilo-de-vida-em-gravidas-com-obesidade-afeta-a-metilacao-do-dna-do-cordao-umbilical-que-esta-associada-a-composicao-corporal-da-prole.htm>. Acesso em: 12 abr. 2021.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
3 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Macrossomia: Refere-se de forma imprecisa aos bebês com peso igual ou superior a 4 quilos. Mães diabéticas podem ter filhos macrossômicos.
7 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
9 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
10 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
11 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
12 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
13 Sangue do Cordão Umbilical: Sangue do feto. A troca de nutrientes e de resíduos entre o sangue fetal e o materno ocorre através da PLACENTA. O sangue do cordão é o sangue contido nos vasos umbilicais (CORDÃO UMBILICAL) no momento do parto.
14 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
15 Cordão Umbilical: Estrutura flexível semelhante a corda, que conecta um FETO em desenvolvimento à PLACENTA, em mamíferos. O cordão contém vasos sanguíneos que transportam oxigênio e nutrientes da mãe ao feto e resíduos para longe do feto.
16 Tecido Adiposo: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
Gostou do artigo? Compartilhe!