Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisa revela o papel do proteoma do plasma sanguíneo humano na obesidade usando impulsionadores genéticos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A obesidade1 é uma doença multifatorial com mecanismos causais ainda pouco conhecidos e com grande contribuição poligênica. Estudos de associação de todo o genoma com o IMC2 identificaram variantes genéticas que podem ser responsáveis ​​por ∼2,7–6% da variação observada no índice de massa corporal3 (IMC2).

Devido a um estilo de vida cada vez mais sedentário e uma transição para o consumo de cada vez mais alimentos processados4, a prevalência5 de obesidade1 em todo o mundo triplicou nos últimos 40 anos. Com base nas últimas estimativas dos países da União Europeia, 30–70% dos adultos são afetados pelo excesso de peso e 10–30% pela obesidade1 (dados da Organização Mundial da Saúde6).

A obesidade1 aumenta muito o risco de várias doenças crônicas, como depressão, diabetes7 tipo 2, doenças cardiovasculares8 e certos tipos de câncer9, sobrecarregando o sistema de saúde6. Portanto, um melhor entendimento da interação entre as escolhas de estilo de vida, fatores ambientais e predisposição genética é fundamental para o desenvolvimento de tratamentos eficazes e intervenções preventivas.

Saiba mais sobre "Obesidade1", "Cálculo10 do IMC2" e "Alimentação saudável".

A composição genética é determinada na concepção11 e pode ser usada para fazer previsões sobre a suscetibilidade a doenças. O aumento dramático nas taxas de obesidade1 aponta claramente para fatores não genéticos ou fatores ambientais como os principais impulsionadores, mais provavelmente em interação com variantes genéticas.

Embora algumas doenças possam resultar de uma única mutação12 monogênica13 rara com um grande efeito, as doenças mais comuns são a consequência de um efeito cumulativo de herança poligênica que abrange inúmeras variantes, cada uma dando apenas uma pequena contribuição para o risco geral de doença.

Por meio de estudos de associação do genoma, mais de 900 variantes genéticas foram identificadas como associadas ao IMC2. No entanto, essas associações mapeadas por esses estudos ainda não explicam totalmente os mecanismos moleculares que levam ao aumento do IMC2.

Dado que as proteínas14 são os principais blocos de construção de um organismo, e também potenciais alvos de drogas, a análise de associação de todo o proteoma parece ser o próximo passo óbvio na pesquisa da obesidade1.

As proteínas14 circulantes do sangue15 são leituras confusas dos processos biológicos que ocorrem em diferentes tecidos e órgãos. Muitas proteínas14 têm sido associadas a distúrbios complexos e também estão sob controle genético substancial. Assim, nessa pesquisa publicada pela revista Nature Communications, investigou-se as associações entre mais de 1.000 proteínas14 circulantes no sangue15 e o índice de massa corporal3 (IMC2) em três estudos, incluindo mais de 4.600 participantes.

Foi demonstrado que o IMC2 está associado a mudanças generalizadas no proteoma plasmático. Observou-se 152 associações de proteínas14 replicadas com o IMC2. 24 proteínas14 também se associam a uma pontuação poligênica de todo o genoma para o IMC2. Essas proteínas14 estão envolvidas no metabolismo16 lipídico e nas vias inflamatórias, impactando nas vias de adiposidade clinicamente relevantes.

A randomização mendeliana sugere uma relação causal bidirecional do IMC2 com LEPR/LEP, IGFBP1 e WFIKKN2, uma relação proteína-para-IMC2 para AGER, DPT17 e CTSA e uma relação IMC2-para-proteína para outras 21 proteínas14.

Combinado com modelo animal e dados de expressão gênica específicos de tecido18, esses resultados sugerem potenciais alvos terapêuticos, elucidando ainda mais o papel dessas proteínas14 em patologias associadas à obesidade1.

Leia sobre "Como tratar a obesidade1", "Peso ideal e como calculá-lo", "Dietas para emagrecer" e "Mutações genéticas".

 

Fonte: Nature Communications, publicação em 24 de fevereiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Pesquisa revela o papel do proteoma do plasma sanguíneo humano na obesidade usando impulsionadores genéticos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1389575/pesquisa-revela-o-papel-do-proteoma-do-plasma-sanguineo-humano-na-obesidade-usando-impulsionadores-geneticos.htm>. Acesso em: 15 mai. 2021.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
3 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
4 Alimentos processados: São aqueles que passam por processamento industrial (larga escala) ou doméstico, contendo elementos químicos. Este processo de transformação, mesmo que caseiro, é percebido como menos saudável que o natural. Geralmente estes produtos sofrem junção com outro tipo de produto, como conservantes, ou alterações em sua temperatura. Exemplo: qualquer produto enlatado, engarrafado ou embutidos.
5 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
9 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
10 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
11 Concepção: O início da gravidez.
12 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
13 Monogênica: Em biologia, é relativo à geração de filhos ou só do sexo masculino, ou só do sexo feminino. Em genética, é a condição de uma característica cuja expressão ou intensidade é determinada pela ação de um único gene.
14 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
15 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
16 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
17 DPT: Vacina tríplice bacteriana, contra Difteria, Coqueluche e Tétano, utilizada para prevenir estas doenças.
18 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
Gostou do artigo? Compartilhe!