Gostou do artigo? Compartilhe!

Condições crônicas maternas, especialmente doenças autoimunes, foram associadas ao aumento do risco de paralisia cerebral na prole

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudos anteriores sugerem que filhos de mães com certas condições crônicas podem ter maior risco de paralisia1 cerebral (PC). Neste estudo publicado no periódico Pediatrics, pesquisadores exploraram possíveis associações entre 17 condições crônicas maternas e PC na prole.

Conduziu-se um estudo de coorte2 prospectivo3 de crianças norueguesas nascidas em 1990–2012 e que sobreviveram até 2 anos de idade. As informações sobre as condições crônicas maternas durante a gravidez4 foram extraídas do Registro Médico de Nascimento da Noruega (1990–2012). Informações sobre condições crônicas em mães e pais registradas no Registro de Pacientes da Noruega (2008–2014) estavam disponíveis para um subconjunto de crianças. Os diagnósticos de PC foram extraídos do National Insurance Scheme (1990–2014) e do Registro de Pacientes da Noruega (2008–2014).

Estimou-se os riscos relativos (RRs) e intervalos de confiança (ICs) de 95% de PC em filhos de pais com condições crônicas em comparação com a população em geral usando modelos de regressão log binominal.

Um total de 1.360.149 crianças norueguesas, incluindo 3.575 crianças com PC (2,6 por 1000 nascidos vivos), cumpriram os critérios de inclusão.

O maior risco de PC foi entre filhos de mães com diabetes5 tipo 2 (RR 3,2; IC 95% 1,8-5,4), lúpus6 eritematoso7 (RR 2,7; IC 95% 0,9-8,3), diabetes tipo 18 (RR 2,2; IC 95% 1,4-3,4) e doença de Crohn9 (RR 2,1; IC 95% 1,0-4,1) durante a gravidez4. Nenhum risco aumentado foi observado para filhos de pais com condições crônicas.

O estudo concluiu que várias condições crônicas maternas foram associadas ao aumento do risco de paralisia1 cerebral na prole. As doenças autoimunes10 maternas apresentam um risco particular.

Leia mais sobre "Paralisia1 cerebral", "Doenças autoimunes10" e "Gravidez4 de risco".

 

Fonte: Pediatrics, Vol. 147, Nº 3, em 01 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Condições crônicas maternas, especialmente doenças autoimunes, foram associadas ao aumento do risco de paralisia cerebral na prole. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1389475/condicoes-cronicas-maternas-especialmente-doencas-autoimunes-foram-associadas-ao-aumento-do-risco-de-paralisia-cerebral-na-prole.htm>. Acesso em: 12 abr. 2021.

Complementos

1 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
2 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
7 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
8 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
9 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
10 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
Gostou do artigo? Compartilhe!