Gostou do artigo? Compartilhe!

A sobrecarga atrial esquerda ajuda a prever a fibrilação atrial em pacientes com insuficiência cardíaca

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A fibrilação atrial (FA) está associada à insuficiência cardíaca1 com fração de ejeção preservada (ICFEP), com consequências adversas. Uma avaliação de risco eficaz pode permitir o início de estratégias de proteção.

Um novo estudo da Wroclaw Medical University, na Polônia, sugere que medições de pico de sobrecarga longitudinal atrial (PALS) e pico de sobrecarga de contração atrial (PACS) podem ajudar a prever quais pacientes com insuficiência cardíaca1 correm maior risco de desenvolver fibrilação atrial.

Uma análise de 170 pacientes com insuficiência cardíaca1 com fração de ejeção preservada com um acompanhamento médio de mais de 4 anos, os resultados indicam que as medições de PACS e PALS forneceram informações preditivas e levaram os investigadores a sugerir a inclusão desses componentes para melhorar a triagem e avaliações de risco para FA.

“PACS e PALS têm valor preditivo para FA incidente2 na ICFEP, incremental aos prognósticos clínicos e ecocardiográficos estabelecidos. A combinação das características de remodelação atrial pode oferecer uma ferramenta sensível para orientar o rastreamento do risco de FA nesta população”, escreveram os pesquisadores.

Leia sobre "Fibrilação atrial", "Insuficiência cardíaca congestiva3" e "Arritmia4 cardíaca".

O estudo, publicado no JACC: Cardiovascular Imaging, buscou identificar os fatores associados à fibrilação atrial incidente2 em uma população bem caracterizada de insuficiência cardíaca1 com fração de ejeção preservada, com foco especial na deformação do átrio esquerdo5 (AE).

Avaliação clínica e ecocardiografia, incluindo medições de pico de sobrecarga longitudinal atrial (PALS), pico de sobrecarga de contração atrial (PACS) e volume do AE indexado (VAEi), foram obtidos em 170 pacientes com ICFEP sintomática6 (idade média, 65 ± 8 anos), livre de FA basal.

A FA foi identificada por eletrocardiograma7 padrão de 12 derivações, revisão de registros médicos relevantes (incluindo documentação Holter8) e vigilância com um dispositivo portátil de eletrocardiograma7 de derivação única durante 2 semanas. Os resultados foram validados em 103 pacientes com ICFEP do estudo Karolinska-Rennes (KaRen).

Ao longo de um acompanhamento médio de 49 meses, FA incidente2 foi identificada em 39 pacientes (23%). Os pacientes que desenvolveram FA eram mais velhos; tinham escores de risco clínico, peptídeo natriurético cerebral, creatinina9, VAEi e massa do VE mais elevados; menor sobrecarga do AE e capacidade de exercício; e função diastólica do VE mais prejudicada.

PACS, PALS e VAEi foram os parâmetros mais preditivos para FA (área sob a curva característica de operação do receptor: 0,76 para PACS, 0,71 para PALS e 0,72 para VAEi). Os modelos de regressão de Cox aninhados mostraram que o valor preditivo de PACS e PALS era independente e incremental aos dados clínicos, VAEi e razão E/e'.

A análise de árvores de classificação e regressão identificou PACS ≤12,7%, PALS ≤29,4% e VAEi >34,3 ml/m² como pontos discriminatórios para FA, com um risco 33 vezes maior de FA (p <0,001) em pacientes classificados como de alto risco. O algoritmo de árvores de classificação e regressão discriminou alto e baixo risco de FA na coorte10 de validação.

O estudo mostrou que o pico de sobrecarga longitudinal atrial e o pico de sobrecarga de contração atrial fornecem informações preditivas incrementais sobre fibrilação atrial incidente2 na Insuficiência cardíaca1 com fração de ejeção preservada. A inclusão desses componentes de sobrecarga do átrio esquerdo5 no algoritmo de diagnóstico11 pode ajudar a orientar a triagem e monitorar o risco de fibrilação atrial nessa população.

Veja também sobre "Fibrilação ventricular", "Doenças cardiovasculares12" e "Desfibrilador: o que é, como usar e por que usar".

 

Fontes:
JACC: Cardiovascular Imaging, Vol. 14, Nº 1, em janeiro de 2021.
Practical Cardiology, notícia publicada em 12 de janeiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. A sobrecarga atrial esquerda ajuda a prever a fibrilação atrial em pacientes com insuficiência cardíaca. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1386445/a-sobrecarga-atrial-esquerda-ajuda-a-prever-a-fibrilacao-atrial-em-pacientes-com-insuficiencia-cardiaca.htm>. Acesso em: 22 set. 2021.

Complementos

1 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
2 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
3 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
4 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
5 Átrio Esquerdo: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.
6 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
7 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
8 Holter: Dispositivo portátil, projetado para registrar de forma contínua, diferentes variáveis fisiológicas ou atividade elétrica durante um período pré-estabelecido de tempo. Os mais utilizados são o Holter eletrocardiográfico e o Holter de pressão.
9 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
10 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
11 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!