Gostou do artigo? Compartilhe!

Cirurgia bariátrica em adolescentes obesos com diabetes tipo 2 oferece maior redução do risco de doença cardiovascular do que o tratamento padrão

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A doença cardiovascular (DCV) continua sendo a principal causa de mortalidade1 no diabetes2 tipo 2 (DM2). Melhores intervenções são necessárias para mitigar3 o alto risco ao longo da vida para DCV em jovens com diabetes2.

Agora, uma nova pesquisa de uma equipe do Children’s Hospital Colorado está fornecendo mais detalhes sobre os efeitos da cirurgia bariátrica4 em comparação com a terapia médica padrão no risco futuro de doença cardiovascular em adolescentes com diabetes tipo 25 e obesidade6 grave.

Uma análise secundária de dados dos estudos Teen-LABS e TODAY, os resultados do estudo sugerem que a cirurgia bariátrica4 foi associada a reduções de quase 3 vezes no risco de ataque cardíaco, insuficiência cardíaca congestiva7, acidente vascular cerebral8 e morte coronária em longo prazo entre adolescentes com diabetes tipo 25 em comparação com aqueles tratados apenas com medicamentos.

“A cirurgia bariátrica4 é atualmente o único tratamento disponível para jovens com obesidade6 grave e diabetes tipo 25 que resulta em perda de peso considerável e durável e melhora nos níveis de açúcar9 no sangue10 na maioria dos pacientes. Com este estudo, nossa intenção era demonstrar ainda mais os benefícios de cirurgia bariátrica4 em adolescentes, provando que também leva a riscos significativamente mais baixos de doenças cardiovasculares11 em longo prazo”, disse o pesquisador principal Petter Bjornstad, MD, endocrinologista12 do Children's Hospital Colorado, em um comunicado.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares11", "Diabetes2 na adolescência", "Obesidade6" e "Cirurgia bariátrica4".

Com a prevalência13 e a carga social da obesidade6 e do diabetes tipo 25 continuando a crescer, Bjornstad e uma equipe de colegas procuraram comparar o risco de 30 anos para eventos de doença cardiovascular entre pacientes com diabetes tipo 25 e obesidade6 grave.

O objetivo do estudo, publicado no periódico Surgery for Obesity and Related Diseases, foi comparar o risco de 30 anos de eventos cardiovasculares em 2 coortes de adolescentes com DM2 e obesidade6 grave submetidos a tratamento médico ou cirúrgico de DM2.

Foi realizada uma análise secundária dos dados coletados dos participantes com DM2 matriculados no estudo Avaliação Longitudinal da Cirurgia Bariátrica4 para Adolescentes (Teen-LABS, n = 30) e participantes de idade e distribuição racial semelhantes do estudo Opções de Tratamento do Diabetes Tipo 25 em Adolescentes e Jovens (TODAY, n = 63).

Os participantes do Teen-LABS foram submetidos à cirurgia bariátrica4 metabólica (CBM). Os participantes do TODAY foram randomizados para receber metformina14 sozinha ou em combinação com rosiglitazona ou intervenção intensiva no estilo de vida, com terapia com insulina15 administrada para a progressão glicêmica.

Um escore de evento de DCV de 30 anos desenvolvido pelo Framingham Heart Study foi o desfecho primário, avaliado no início do estudo (pré-operatório para Teen-LABS), 1 ano e 5 anos de acompanhamento.

Participantes com DM2 do Teen-LABS (n = 30; média ± DP idade = 16,9 ± 1,3 anos; 70% mulheres; 60% brancos; índice de massa corporal16 (IMC17) = 54,4 ± 9,5 kg/m²) e do TODAY (n = 63; 15,3 ± 1,3 anos; 56% mulheres; 71% brancos; IMC17 40,5 ± 4,9 kg/m²) foram comparados.

A probabilidade de eventos cardiovasculares foi maior em participantes do Teen-LABS versus do TODAY no início do estudo (17,66 [1,59] versus 12,11 [0,79]%, P ajustado = 0,002).

Um ano após CBM, o risco de evento foi significativamente menor em participantes do Teen-LABS versus do TODAY (6,79 [1,33] versus 13,64 [0,96]%, P ajustado <0,0001), e sustentado em 5 anos de acompanhamento (P ajustado <0,0001).

O estudo concluiu que apesar do maior risco pré-tratamento para eventos cardiovasculares, o tratamento com cirurgia bariátrica4 metabólica resultou em uma redução nos riscos estimados de eventos cardiovasculares, enquanto a terapia médica foi associada a um aumento no risco entre adolescentes com diabetes tipo 25 e obesidade6 grave.

“O alto risco de doença cardiovascular observado em participantes do estudo TODAY, apesar de seu IMC17 basal mais baixo, ressalta a inadequação da terapia médica padrão para mitigar3 o risco de eventos cardiovasculares e exige uma terapia mais agressiva nesta população de risco”, disse Thomas H. Inge, MD, PhD, investigador principal do Teen-LABS e diretor de cirurgia pediátrica e do centro bariátrico do Children's Hospital Colorado, em comunicado acima mencionado. “Embora estudos de longo prazo sejam necessários para determinar se as previsões do escore de risco são verdadeiras, as perspectivas de saúde18 cardiovascular de longo prazo associadas à cirurgia bariátrica4 em adolescentes parecem ser muito positivas”.

Leia sobre "Obesidade6 infantil", "Saúde18 cardiovascular ideal na infância" e "Prevenção do diabetes2 e suas complicações".

 

Fontes:
Surgery for Obesity and Related Diseases, publicação em 08 de setembro de 2020.
Practical Cardiology, notícia publicada em 10 de dezembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Cirurgia bariátrica em adolescentes obesos com diabetes tipo 2 oferece maior redução do risco de doença cardiovascular do que o tratamento padrão. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1384939/cirurgia-bariatrica-em-adolescentes-obesos-com-diabetes-tipo-2-oferece-maior-reducao-do-risco-de-doenca-cardiovascular-do-que-o-tratamento-padrao.htm>. Acesso em: 25 jan. 2021.

Complementos

1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Mitigar: Tornar mais brando, mais suave, menos intenso (geralmente referindo-se à dor ou ao sofrimento); aliviar, suavizar, aplacar.
4 Cirurgia Bariátrica:
5 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
6 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
7 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
8 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
12 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
13 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
14 Metformina: Medicamento para uso oral no tratamento do diabetes tipo 2. Reduz a glicemia por reduzir a quantidade de glicose produzida pelo fígado e ajudando o corpo a responder melhor à insulina produzida pelo pâncreas. Pertence à classe das biguanidas.
15 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
16 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
17 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
18 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!