Gostou do artigo? Compartilhe!

Médicos que expressam empatia têm influência positiva na lembrança de informações por parte do paciente

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo observacional no atendimento clínico, explorando o papel mediador da ansiedade, buscou avaliar o poder da empatia expressa pelo médico para aumentar a lembrança de informações no tratamento avançado do câncer1 de mama2.

Embora o mecanismo subjacente permaneça obscuro, o estudo, publicado na Patient Education and Counseling, demonstrou a influência positiva da empatia expressa pelo médico durante as consultas com pacientes do sexo feminino com câncer1 de mama2 avançado.

Estudos experimentais já haviam descoberto que a empatia expressa pelo médico melhora a lembrança de informações dos pacientes em consultas de câncer1. Mas ainda não estava claro, no entanto, se esses resultados eram generalizáveis ​​para o atendimento clínico e, em caso afirmativo, qual o mecanismo subjacente.

Dessa forma, objetivo do novo estudo foi 1) determinar a relação entre a empatia expressa pelo médico e a lembrança de informações dos pacientes em consultas clínicas de câncer1 de mama2 avançado; e 2) testar se a relação entre a empatia expressa pelo médico e a lembrança é mediada por uma diminuição na ansiedade dos pacientes.

Saiba mais sobre "Câncer1 de mama2 - como se preparar para uma consulta médica" e "Empatia - como ser uma pessoa mais empática".

Os resultados demonstraram os seguintes pontos de destaque:

  • Os pacientes se lembraram de 61% das informações fornecidas por seus médicos.
  • A empatia expressa pelo médico aumenta a lembrança dos pacientes clínicos em câncer1 avançado.
  • A relação entre empatia e recordação não foi mediada por uma diminuição da ansiedade.

"Nossos resultados revelaram que a empatia expressa pelo médico influenciou positivamente a lembrança dos pacientes na prática clínica: tanto a totalidade das informações quanto as informações sobre os objetivos / efeitos positivos do tratamento em particular foram lembradas melhor após as consultas nas quais mais empatia foi expressa", explicaram os autores . “No entanto, esta melhora na memória não foi explicada por uma diminuição no nível de ansiedade dos pacientes.”

Quarenta e uma consultas entre oncologistas e pacientes do sexo feminino com câncer1 de mama2 avançado foram gravadas em áudio. A recordação das informações pós-consulta dos pacientes e a ansiedade pré e pós-consulta (0-100) foram avaliadas. A recordação foi pontuada de acordo com um questionário criado pelos pesquisadores. A empatia expressa pelo médico (0-100) foi avaliada por observadores. Modelagem de equações estruturais foi usada para todas as análises.

Descobriu-se que os participantes do estudo se lembraram de 61% das informações discutidas. A recordação foi melhor para informações sobre opções de tratamento (77%), seguido por informações sobre objetivos do tratamento e efeitos positivos (63%). No entanto, a recordação do paciente foi menos eficaz para informações sobre os efeitos colaterais3 (40%).

A empatia expressa pelo médico aumentou significativamente a memória total de informações dos pacientes (p = 0,041) e a memória dos objetivos do tratamento / efeitos positivos (p = 0,028), embora não tenha impactado significativamente a lembrança das opções de tratamento (P = 0,123) ou efeitos colaterais3 (P = 0,129).

O papel mediador da ansiedade não pôde ser estabelecido pelos investigadores. Os efeitos indiretos de todas as partes individuais e da memória total foram próximos a 0 e não significativos.

O estudo concluiu que, embora o mecanismo subjacente permaneça obscuro, os médicos têm uma ferramenta poderosa para melhorar a recordação de informações de pacientes com câncer1 de mama2 em estado grave: empatia.

Essas percepções devem encorajar os médicos a expressar empatia; o treinamento prático de comunicação pode ser útil.

Leia sobre "Câncer1 de mama2", "Ansiedade normal e patológica" e "Ebook - informações e cuidados sobre o câncer1 de mama2".

 

Fontes:
Patient Education and Counseling, publicação em 22 de outubro de 2020.
Cancer1 Network, notícia publicada em 23 de novembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Médicos que expressam empatia têm influência positiva na lembrança de informações por parte do paciente. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1383338/medicos-que-expressam-empatia-tem-influencia-positiva-na-lembranca-de-informacoes-por-parte-do-paciente.htm>. Acesso em: 22 set. 2021.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!