Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA Network: estudo encontrou associação entre maus-tratos na infância e comportamentos suicidas em crianças e adultos jovens

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os relatos de crianças e jovens de experiências de eventos adversos na infância aumentaram nos últimos anos e esta tendência foi associada a um risco elevado de comportamentos suicidas. No entanto, uma revisão sistemática e metanálise são necessárias para confirmar a importância dessa associação em jovens.

O objetivo desse estudo, publicado no JAMA Network Open, foi quantificar a associação entre os principais tipos de maus-tratos na infância, incluindo abuso sexual, físico e emocional e/ou negligência1 e comportamentos suicidas em crianças e adultos jovens.

As bases de dados Medline, PsychInfo, Embase, Web of Science e CINAHL foram pesquisadas de 1º de janeiro de 1980 até 31 de dezembro de 2019. As listas de referência de todos os estudos incluídos também foram verificadas.

Foram selecionados estudos quantitativos que enfocaram a associação entre os principais tipos de abuso e/ou negligência1 na infância e ideação, planos e tentativas de suicídio.

Saiba mais sobre "Suicídio" e "Abuso sexual de crianças - sinais2 de abuso, consequências para a criança, perfil psicológico de um abusador".

Os dados foram extraídos por 2 avaliadores independentes. O viés de publicação e o risco de viés entre os estudos foram avaliados. Metanálises usando modelos de efeito aleatório foram aplicadas, e heterogeneidade foi quantificada usando a estatística I². Os dados foram analisados ​​de janeiro a maio de 2020 de acordo com as diretrizes de relatórios Itens de Relatório Preferidos para Revisões Sistemáticas e Metanálises (PRISMA) e Metanálise de Estudos Observacionais em Epidemiologia (MOOSE).

O principal resultado foi a associação entre os principais tipos de maus-tratos na infância e comportamentos suicidas.

Setenta e nove estudos com 337.185 indivíduos jovens (idade média [DP], 15,67 [2,11] anos; 63,19% mulheres) foram incluídos.

Os resultados demonstraram que abuso sexual (odds ratio [OR], 3,41; IC 95%, 2,90-4,00), abuso físico (OR, 2,18; IC 95%, 1,75-2,71), abuso emocional (OR, 2,21; IC 95%, 1,37-3,57), negligência1 emocional (OR, 1,93; IC 95%, 1,36-2,74), negligência1 física (OR, 1,79; IC 95%, 1,27-2,53) e abuso combinado (OR, 3,38; IC 95%, 2,09-5,47) foram significativamente associados a taxas mais elevadas de tentativas de suicídio.

Os principais tipos de maus-tratos na infância também foram associados a chances 2,5 vezes maiores de ideação suicida, e o abuso sexual a um aumento de 4,0 vezes para planos de suicídio.

Estudos baseados em amostras da comunidade (β [SE] = −1,68 [0,79]; P = 0,04) ou com qualidade metodológica inferior (β [SE] = −2,86 [1,30]; P = 0,03) foram associados mais fortemente com tentativas de suicídio naqueles que relataram experiências de abuso sexual, enquanto a idade jovem foi associada a tanto tentativas de suicídio (β [SE] = −0,59 [0,27]; P = 0,03) quanto ideação suicida (β [SE] = −0,41 [0,18]; P = 0,03).

Esta revisão sistemática e metanálise, portanto, encontrou uma associação entre os principais tipos de maus-tratos na infância e comportamentos suicidas em crianças e adultos jovens. Indivíduos mais jovens com experiências de abuso sexual que não estavam sob os cuidados de médicos apresentaram taxas mais altas de tentativa de suicídio, e a idade jovem também foi associada mais fortemente à ideação suicida.

Esses resultados sugerem que as ações políticas devem se concentrar em aumentar a consciência pública e oferecer terapias proativas de prevenção ao suicídio para crianças e jovens adultos que sofreram abuso e/ou negligência1. As descobertas sugerem que o foco principal dos tratamentos psicológicos deve ser a melhoria dos efeitos das experiências adversas da infância.

Veja também sobre "Depressão em crianças", "Saúde3 mental" e "Diferenças entre pedofilia-doença e pedofilia-criminosa".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 05 de agosto de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. JAMA Network: estudo encontrou associação entre maus-tratos na infância e comportamentos suicidas em crianças e adultos jovens. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1379643/jama-network-estudo-encontrou-associacao-entre-maus-tratos-na-infancia-e-comportamentos-suicidas-em-criancas-e-adultos-jovens.htm>. Acesso em: 22 out. 2020.

Complementos

1 Negligência: Falta de cuidado; incúria. Falta de apuro, de atenção; desleixo, desmazelo. Falta de interesse, de motivação; indiferença, preguiça. Inobservância e descuido na execução de ato.
2 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!