Gostou do artigo? Compartilhe!

Poluição do ar e determinantes familiares do início da asma e sibilância persistente em crianças, publicado pelo BMJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo caso-controle realizado na Dinamarca e publicado pelo The British Medical Journal (BMJ) teve como objetivo identificar os fatores de risco (poluição do ar e familiares) para o aparecimento de asma1 e sibilância persistente em crianças.

Todas as crianças dinamarquesas nascidas de 1997 a 2014 e acompanhadas para o início da asma1 e sibilância persistente, de 1 a 15 anos de idade, foram incluídas na pesquisa. O resultado principal foi o início de asma1 e sibilância persistente.

Os resultados mostraram uma maior incidência2 de asma1 em filhos de pais com asma1 (razão de risco ajustada 2,29 (intervalo de confiança de 95% de 2,22 a 2,35) e de mães que fumaram durante a gravidez3 (1,20; 1,18 a 1,22), enquanto uma menor incidência2 foi encontrada em crianças de pais com alto nível de escolaridade (0,72; 0,69 a 0,75) e alta renda (0,85; 0,81 a 0,89).

A exposição a partículas ≤2,5 µm (PM2,5) e ≤10 µm (PM10) e ao nitrato foi associada a um risco aumentado de asma1 e sibilância persistente, com taxas de risco por 5 µg/m³ de aumento nas concentrações de poluentes 1,05 (1,03 a 1,07) para PM2,5, 1,04 (1,02 a 1,06) para PM10 e 1,04 (1,03 a 1,04) para dióxido de nitrogênio. Apenas a associação positiva de PM2.5 com asma1 e sibilância persistente permaneceu robusta nos diferentes modelos e nas análises de sensibilidade.

Lembrando que PM significa material particulado (sigla em inglês para “particulate matter”). Os materiais particulados são partículas muito finas de sólidos ou líquidos suspensos no ar.

Os achados deste estudo sugerem que crianças expostas a níveis mais elevados de PM2.5 têm maior probabilidade de desenvolver asma1 e sibilância persistente do que crianças não expostas. Outros fatores de risco associados a esses resultados foram asma1 dos pais, nível de escolaridade dos pais e tabagismo materno durante a gravidez3.

Leia sobre "Asma1 - Prevenção e Tratamento", "Falta de ar", "Espirometria4" e "Como a poluição do ar afeta a saúde5". 

 

Fonte: The BMJ, em 19 de agosto de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Poluição do ar e determinantes familiares do início da asma e sibilância persistente em crianças, publicado pelo BMJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1376948/poluicao-do-ar-e-determinantes-familiares-do-inicio-da-asma-e-sibilancia-persistente-em-criancas-publicado-pelo-bmj.htm>. Acesso em: 25 nov. 2020.

Complementos

1 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
4 Espirometria: Exame que permite aferir o fluxo de ar nas vias aéreas ou brônquios, comparando os resultados com os obtidos por pessoas saudáveis com a mesma idade e altura. Serve para a investigação de sintomas respiratórios; diagnóstico e avaliação de asma, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) ou bronquite causada pelo cigarro; incapacidade funcional; avaliação pós-operatória e avaliação e diagnóstico de doenças respiratórias relacionadas ao trabalho. O exame têm duração média de 30 minutos.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!