Gostou do artigo? Compartilhe!

Expansão clonal de mutações do Plasmodium falciparum, causador da malária, provoca resistência ao tratamento da doença em Ruanda

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A resistência à artemisinina no tratamento da malária (depuração retardada do P. falciparum após terapia combinada1 à base de artemisinina) está disseminada no sudeste da Ásia, mas até o momento não foi relatada na África.

Em novo estudo publicado na revista Nature Medicine, pesquisadores genotiparam o domínio do propulsor do P. falciparum K13 (Pfkelch13), no qual mutações podem mediar a resistência à artemisinina, em amostras de pré-tratamento coletadas de ensaios de eficácia recentes de diidroarteminisina-piperaquina e artemeter-lumefantrina em Ruanda.

Enquanto as taxas de cura foram >95% em ambos os braços de tratamento, a mutação2 R561H do Pfkelch13 foi identificada em 19 de 257 (7,4%) pacientes em Masaka. A análise filogenética revelou a expansão de uma linhagem indígena R561H. A edição do gene confirmou que esta mutação2 pode conduzir à resistência à artemisinina in vitro.

Este estudo fornece evidências para o novo surgimento de resistência à artemisinina mediada pelo Pfkelch13 em Ruanda, potencialmente comprometendo o sucesso contínuo da quimioterapia3 antimalárica na África.

Saiba mais sobre "Malária" e "Infecções4 oportunistas".

 

Fonte: Nature, publicação em 03 de agosto de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Expansão clonal de mutações do Plasmodium falciparum, causador da malária, provoca resistência ao tratamento da doença em Ruanda. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1375753/expansao-clonal-de-mutacoes-do-plasmodium-falciparum-causador-da-malaria-provoca-resistencia-ao-tratamento-da-doenca-em-ruanda.htm>. Acesso em: 22 set. 2020.

Complementos

1 Terapia combinada: Uso de medicações diferentes ao mesmo tempo (agentes hipoglicemiantes orais ou um agente hipoglicemiante oral e insulina, por exemplo) para administrar os níveis de glicose sangüínea em pessoas com diabetes tipo 2.
2 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
3 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!