Gostou do artigo? Compartilhe!

Infecção por Síndrome Respiratória Aguda Grave do Coronavírus 2 (SARS-CoV-2) em crianças e adolescentes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A rápida disseminação mundial atual da infecção1 por síndrome2 respiratória aguda grave do coronavírus 2 (SARS-CoV-2) justifica o esforço global para identificar estratégias preventivas eficazes e o gerenciamento médico ideal. Embora haja dados disponíveis para pacientes3 adultos com a doença do coronavírus 2019 (COVID-19), relatórios limitados analisaram pacientes pediátricos infectados com SARS-CoV-2.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Pediatrics, foi avaliar os casos pediátricos atualmente relatados de infecção1 por SARS-CoV-2.

Uma extensa estratégia de pesquisa foi projetada para recuperar todos os artigos publicados de 1º de dezembro de 2019 a 3 de março de 2020, combinando os termos coronavírus e infecção1 por coronavírus em vários bancos de dados eletrônicos (PubMed, Cochrane Library e CINAHL) e seguindo as diretrizes do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-analyses.

Foram incluídos estudos retrospectivos transversais e de controle de casos, séries de casos e relatos de casos, boletins e relatórios nacionais sobre a infecção1 pediátrica por SARS-CoV-2. O risco de viés para estudos observacionais elegíveis foi avaliado de acordo com a diretriz de relatórios Strengthening the Reporting of Observational Studies in Epidemiology.

Foram identificados 815 artigos. Dezoito estudos com 1065 participantes (444 pacientes tinham menos de 10 anos e 553 tinham entre 10 e 19 anos) com infecção1 confirmada por SARS-CoV-2 foram incluídos na análise final. Todos os artigos refletiram pesquisas realizadas na China, exceto um caso clínico em Cingapura.

Crianças de qualquer idade foram relatadas com sintomas4 respiratórios leves, como febre5, tosse seca e fadiga6, ou eram assintomáticas. O espessamento brônquico e as opacidades em vidro fosco foram as principais características radiológicas, e esses achados também foram relatados em pacientes assintomáticos.

Entre os artigos incluídos, houve apenas um caso de infecção1 grave por COVID-19, que ocorreu em uma criança de 13 meses, que apresentou pneumonia7, complicada por choque8 e insuficiência renal9, e foi tratada com sucesso com terapia intensiva10. A maioria dos pacientes pediátricos foi hospitalizada e as crianças sintomáticas receberam principalmente cuidados de suporte. Não foram relatadas mortes em crianças de 0 a 9 anos. Os dados disponíveis sobre terapias eram limitados.

Até onde se sabe, esta é a primeira revisão sistemática que avalia e resume as características clínicas e o manejo de crianças com infecção1 por SARS-CoV-2. A rápida disseminação da COVID-19 em todo o mundo e a falta de dados europeus e norte-americanos sobre pacientes pediátricos exigem mais estudos epidemiológicos e clínicos para identificar possíveis estratégias terapêuticas e preventivas.

Leia sobre "Coronavírus - como é?", "Uso de máscaras na COVID-19" e "Pneumonia7 na infância".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 22 de abril de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Infecção por Síndrome Respiratória Aguda Grave do Coronavírus 2 (SARS-CoV-2) em crianças e adolescentes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1365968/infeccao-por-sindrome-respiratoria-aguda-grave-do-coronavirus-2-sars-cov-2-em-criancas-e-adolescentes.htm>. Acesso em: 26 nov. 2020.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
6 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
7 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
8 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
9 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
10 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
Gostou do artigo? Compartilhe!