Gostou do artigo? Compartilhe!

JACC: o treinamento para uma maratona pode reverter o enrijecimento da aorta relacionado à idade

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O envelhecimento aumenta a rigidez da aorta1, contribuindo para o risco cardiovascular mesmo em indivíduos saudáveis. A rigidez aórtica é reduzida por meio de programas de treinamento supervisionados, mas estes não são facilmente generalizáveis.

O objetivo deste estudo, publicado pelo periódico Journal of the American Medical College of Cardiology (JACC), foi determinar se o treinamento físico no mundo real para maratonistas de primeira viagem pode reverter o enrijecimento da aorta1 relacionado à idade.

Indivíduos saudáveis não treinados foram submetidos a 6 meses de treinamento para a Maratona de Londres. A avaliação pré-treinamento e duas semanas após a maratona incluiu pressão arterial2 central (aórtica) e rigidez aórtica usando distensibilidade por ressonância magnética3 cardiovascular. A “idade aórtica” biológica foi calculada a partir da relação idade-rigidez cronológica basal. A alteração da rigidez foi avaliada na aorta ascendente4 (Ao-A) e descendente na bifurcação da artéria pulmonar5 (Ao-P) e diafragma6 (Ao-D). Os dados são alterações médias (intervalos de confiança de 95% [ICs]).

Um total de 138 atletas que completaram a primeira maratona (21 a 69 anos, 49% do sexo masculino) foram avaliados, com um cronograma de treinamento estimado de 10 a 20 quilômetros/semana. Na linha de base, uma década de envelhecimento cronológico correlacionou-se com uma diminuição da distensibilidade Ao-A, Ao-P e Ao-D em 2,3, 1,9 e 3,1 × 10-3 mmHg-1, respectivamente (p <0,05 para todos).

O treinamento diminuiu a pressão arterial sistólica7 e diastólica central (aórtica) em 4 mmHg (IC 95%: 2,8 a 5,5 mmHg) e 3 mmHg (IC 95%: 1,6 a 3,5 mmHg). A distensibilidade aórtica descendente aumentou (Ao-P: 9%; p = 0,009; Ao-D: 16%; p = 0,002), mantendo-se inalterada na Ao-A. Isso se traduziu em uma redução da “idade aórtica” em 3,9 anos (IC 95%: 1,1 a 7,6 anos) e 4,0 anos (IC 95%: 1,7 a 8,0 anos) (Ao-P e Ao-D, respectivamente). O benefício foi maior nos participantes mais velhos do sexo masculino, com tempos de corrida mais lentos (p <0,05 para todos).

Concluiu-se com este estudo que o treinamento e a conclusão de uma maratona, mesmo com intensidade de exercício relativamente baixa, reduzem a pressão arterial2 central e a rigidez aórtica — equivalente a uma redução de cerca de 4 anos na idade vascular8. Maior rejuvenescimento foi observado em indivíduos mais velhos e mais lentos.

Leia sobre "Atividade física", "Exercícios aeróbicos" e "Envelhecimento saudável".

 

Fonte: Journal of the American Medical College of Cardiology (JACC), volume 75, número 1, janeiro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. JACC: o treinamento para uma maratona pode reverter o enrijecimento da aorta relacionado à idade. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1356503/jacc-o-treinamento-para-uma-maratona-pode-reverter-o-enrijecimento-da-aorta-relacionado-a-idade.htm>. Acesso em: 24 jan. 2020.

Complementos

1 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
2 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
3 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
4 Aorta Ascendente: O principal tronco do sistema arterial.
5 Artéria Pulmonar: Vaso curto e calibroso que se origina do cone arterial do ventrículo direito e transporta sangue venoso para os pulmões. DF
6 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
7 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
8 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!