Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA Pediatrics: prevalência global de hipertensão em crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estimativas confiáveis ​​da prevalência1 de hipertensão2 infantil servem de base para prevenção e tratamento adequados. No entanto, a prevalência1 de hipertensão2 infantil raramente foi sintetizada em nível global.

O objetivo deste estudo publicado pelo JAMA Pediatrics foi de realizar uma revisão sistemática e metanálise para avaliar a prevalência1 de hipertensão2 na população pediátrica geral.

Saiba mais sobre "Hipertensão arterial3 na infância" e "Hipertensão arterial3".

As bases de dados PubMed, MEDLINE, Embase, Global Health e Global Health Library foram pesquisadas ​​desde o início até junho de 2018, usando termos de pesquisa relacionados à hipertensão2 (hipertensão2 OU pressão alta OU pressão arterial4 elevada), crianças (crianças OU adolescentes) e prevalência1 (prevalência1 OU epidemiologia).

Estudos que foram realizados na população pediátrica geral e quantificaram a prevalência1 de hipertensão2 infantil foram elegíveis. Os estudos incluídos tiveram medidas da pressão arterial4 em pelo menos três ocasiões distintas.

Dois autores extraíram os dados independentemente. A metanálise de efeitos aleatórios foi usada para derivar a prevalência1 combinada. Variações nas estimativas de prevalência1 em diferentes subgrupos, incluindo faixa etária, sexo, localização, dispositivo, período de investigação, grupo IMC5, região da Organização Mundial da Saúde6 e região do Banco Mundial, foram examinadas por metanálise de subgrupos. A meta-regressão foi usada para estabelecer a prevalência1 por idade específica da hipertensão2 infantil e avaliar sua tendência secular.

Os principais resultados foram a prevalência1 de hipertensão2 infantil global e por subgrupo.

Um total de 47 artigos foram incluídos na metanálise. A prevalência1 combinada em crianças com 19 anos ou menos foi de 4,00% (IC 95%, 3,29% - 4,78%) para hipertensão2; 9,67% (IC 95%, 7,26% - 12,38%) para pré-hipertensão2; 4,00% (IC 95%, 2,10% - 6,48%) para hipertensão2 em estágio 1 e de 0,95% (IC 95%, 0,48% - 1,57%) para hipertensão2 em estágio 2.

Nas metanálises de subgrupos, a prevalência1 de hipertensão2 infantil foi maior quando medida pelo esfigmomanômetro aneroide (7,23% vs 4,59% pelo esfigmomanômetro de mercúrio vs 2,94% pelo esfigmomanômetro oscilométrico) e entre crianças com sobrepeso7 e obesidade8 (15,27% e 4,99% vs 1,90% entre crianças com peso normal).

Observou-se uma tendência de prevalência1 crescente da hipertensão2 infantil nas duas últimas décadas, com uma taxa crescente relativa de 75% a 79% entre 2000 e 2015. Em 2015, a prevalência1 de hipertensão2 variou de 4,32% (IC 95%, 2,79% - 6,63%) entre as crianças de 6 anos a 3,28% (IC 95%, 2,25% - 4,77%) entre as crianças de 19 anos e atingiu um pico de 7,89% (IC 95%, 5,75% - 10,75%) entre as crianças de 14 anos.

Este estudo fornece uma estimativa global da prevalência1 de hipertensão2 infantil com base nas medidas da pressão arterial4 em pelo menos três consultas separadas. Os resultados sugerem que a hipertensão2 infantil está se tornando mais comum na população pediátrica em geral, representando um considerável desafio à saúde6 pública em todo o mundo. Ainda são necessárias investigações epidemiológicas de alta qualidade sobre hipertensão2 infantil.

Leia sobre "Pressão arterial4", "Obesidade8 infantil" e "Meu filho está fora do peso ideal".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 07 de outubro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. JAMA Pediatrics: prevalência global de hipertensão em crianças. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1354223/jama-pediatrics-prevalencia-global-de-hipertensao-em-criancas.htm>. Acesso em: 11 jul. 2020.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
4 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
5 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
8 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
Gostou do artigo? Compartilhe!