Gostou do artigo? Compartilhe!

Tentativas e ideias suicidas em crianças atendidas em departamentos de emergência pediátrica nos EUA chamam a atenção de pediatras: publicado pelo JAMA Pediatrics

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pelo menos na última década, o suicídio tem sido reconhecido como a segunda principal causa de morte em pré-adolescentes e adolescentes americanos. É fundamental entender a dimensão do problema imediatamente, ao invés de documentar futuramente o número de suicídios concluídos.

Evidências recentes têm demonstrado aumentos acentuados nas tentativas de suicídio (SA) e ideação suicida (SI) entre crianças e adolescentes que se apresentam aos departamentos de emergência1 (DEs) médica de hospitais terciários americanos. Usando um conjunto de dados nacionalmente representativo, pesquisadores da Division of Pediatric Emergency Medicine, da Division of Adolescent Medicine e do Department of Psychiatry, todos do Montreal Children’s Hospital, em Quebec, no Canadá, testaram a hipótese de que o aumento das visitas aos DEs pediátricos para SA/SI seria observado em todo o país em uma amostra ampla e generalizável. Como as tentativas de suicídio e a ideação suicida são preditores de um suicídio concluído mais tarde, analisar o aumento desses marcadores pode fornecer uma representação mensurável da extensão do suicídio.

Uma análise recente dos dados do National Hospital Ambulatory Medical Care Survey procurou quantificar o aumento desses marcadores em crianças. Os investigadores examinaram as avaliações do departamento de emergência1 (DE) para tentativas de suicídio e ideação suicida em crianças de 5 a 18 anos de idade de uma amostra nacionalmente representativa.

Pouco menos de 5% das quase 60.000 visitas a DEs de hospitais participantes durante os 8 anos de coleta de dados foram para tentativa de suicídio ou ideação suicida. A mediana de idade dessas crianças era de 13 anos e a grande maioria (97,9%) não foi hospitalizada.

Extrapolando esses dados para toda a nação, as visitas anuais estimadas a DE para essa indicação quase dobraram durante o período de estudo, passando de 580.000 em 2007 para 1,12 milhões em 2015. Isso se compara a um aumento das visitas por todas as outras razões de pouco menos de 20%.

Os resultados deste estudo acrescentam mais combustível ao argumento de que os prestadores de cuidados primários de saúde2 (PCPs) devem aprimorar suas habilidades de avaliação e tratamento em saúde2 mental, incluindo a importância de perguntar claramente às crianças: "você já pensou em suicídio ou tentou cometer suicídio?"

A curto prazo, os PCPs e suas equipes médicas precisarão tentar preencher as lacunas nos cuidados de saúde2 mental que seus pacientes estão enfrentando, usando ferramentas que possam ajudá-los. O Pediatric Mental Health Care Access Program, um programa federal financiado para promover a integração da saúde2 comportamental em cuidados primários pediátricos usando a telessaúde está operando atualmente em 21 estados norte americanos. A American Academy of Pediatrics (AAP) Mental Health Initiatives oferece ferramentas para download para cuidados primários. A AAP lançou uma declaração política atualizada sobre competências em saúde2 mental para a prática pediátrica em novembro de 2019, juntamente com um relatório técnico que inclui estratégias para educar médicos experientes.

Embora o aumento do treinamento para PCPs possa ajudar, ele não será suficiente, especialmente para crianças com problemas de saúde2 mental mais desafiadores, como o suicídio. Simplesmente não há provedores de saúde2 mental suficientes para atender às necessidades da pediatria. Estudos como este são uma maneira de chamar a atenção para a necessária tomada de decisões na prática clínica pediátrica em relação ao atendimento de crianças e adolescentes com transtornos mentais.

Leia mais assuntos relacionados: "Urgências em Psiquiatria", "Depressão em crianças", "Ansiedade infantil" e "Antidepressivos: eles estão sendo usados em excesso?"

 

Fonte: JAMA Pediatrics, em 8 de abril de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Tentativas e ideias suicidas em crianças atendidas em departamentos de emergência pediátrica nos EUA chamam a atenção de pediatras: publicado pelo JAMA Pediatrics. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1353648/tentativas-e-ideias-suicidas-em-criancas-atendidas-em-departamentos-de-emergencia-pediatrica-nos-eua-chamam-a-atencao-de-pediatras-publicado-pelo-jama-pediatrics.htm>. Acesso em: 7 abr. 2020.

Complementos

1 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!