Gostou do artigo? Compartilhe!

Idade inicial de rastreamento do câncer de mama adaptada ao risco para pacientes com histórico familiar da doença

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Com que idade as mulheres com históricos familiares de câncer1 de mama2 diferentes devem começar o rastreamento?

As diretrizes de rastreamento do câncer1 de mama2 reconhecem a necessidade de rastreamento prévio para mulheres com risco aumentado, mas fornecem orientação limitada para mulheres com histórico familiar de câncer1 de mama2. Uma idade inicial de rastreamento adaptada ao risco para familiares de pacientes com câncer1 de mama2 pode ajudar a complementar as diretrizes atuais de rastreamento.

Saiba mais sobre "Câncer1 de mama2" e "Mamografia3".

O objetivo deste estudo, publicado pelo JAMA Oncology, foi identificar a idade inicial de rastreamento do câncer1 de mama2, adaptada ao risco, com base no histórico familiar detalhado de uma mulher.

Este estudo de coorte4 em todo o país analisou dados registrados nos conjuntos de dados suecos sobre câncer1 de família. Todas as mulheres nascidas a partir de 1932 e com pelo menos um parente de primeiro grau (PPG) conhecido foram incluídas (N = 5.099.172). Foram coletados dados de 1º de janeiro de 1958 a 31 de dezembro de 2015. Os dados foram analisados ​​de 1 de outubro de 2017 a 31 de março de 2019.

Analisou-se a história familiar de câncer1 de mama2 em PPGs e parentes de segundo grau (PSGs). Os principais resultados foram o diagnóstico5 primário de câncer1 de mama2 invasivo e a idade em que mulheres com diferentes constelações de história familiar atingiram o nível de risco em que o rastreamento de mama2 é geralmente recomendado.

Das 5.099.172 mulheres incluídas no estudo, 118.953 (2,3%) receberam um diagnóstico5 de câncer1 de mama2 primário invasivo. Um total de 102.751 mulheres (86,4%; idade média [DP] no diagnóstico5, 55,9 [11,1] anos) não possuíam histórico familiar de câncer1 de mama2 em PPG e PSG no momento do diagnóstico5.

A idade inicial de rastreamento do câncer1 de mama2 adaptada ao risco variou de acordo com o número de PPGs e PSGs com diagnóstico5 de câncer1 de mama2 e a idade do diagnóstico5 dos PPGs.

Por exemplo, para recomendação de rastreamento aos 50 anos para a população em geral (risco cumulativo de 2,2% em 10 anos), as mulheres com múltiplos PPGs afetados, com o parente mais jovem afetado recebendo um diagnóstico5 antes dos 50 anos, atingiram o nível de risco de referência na idade de 27 anos. Quando o parente mais jovem recebeu um diagnóstico5 após os 50 anos, no entanto, esse nível de risco foi atingido aos 36 anos.

Este estudo identifica possíveis idades iniciais com base no risco para o rastreamento do câncer1 de mama2, baseado em registros populacionais. Esses resultados podem servir como evidência de alta qualidade para complementar as diretrizes atuais de rastreamento para familiares de pacientes com câncer1 de mama2.

Leia sobre "Ebook - informações e cuidados sobre o câncer1 de mama2", "Prevenção do câncer1" e "Câncer1 - informações importantes". 

 

Fonte: JAMA Oncology, publicação em 14 de novembro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Idade inicial de rastreamento do câncer de mama adaptada ao risco para pacientes com histórico familiar da doença. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1352398/idade-inicial-de-rastreamento-do-cancer-de-mama-adaptada-ao-risco-para-pacientes-com-historico-familiar-da-doenca.htm>. Acesso em: 7 dez. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!