Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: acompanhamento de crianças com hipercolesterolemia familiar em uso de estatinas por 20 anos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A hipercolesterolemia1 familiar é caracterizada por níveis severamente elevados de colesterol2 da lipoproteína de baixa densidade (LDL3) e doença cardiovascular prematura. A eficácia a curto prazo da terapêutica4 com estatina em crianças está bem estabelecida, mas estudos de acompanhamento mais longos avaliando mudanças no risco de doença cardiovascular são escassos.

Em estudo publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM), pesquisadores fizeram um acompanhamento de 20 anos de terapia com estatinas em crianças. Um total de 214 pacientes com hipercolesterolemia1 familiar (confirmada geneticamente em 98% dos pacientes), que foram previamente participantes de um estudo controlado por placebo5, avaliando a eficácia e a segurança em 2 anos da pravastatina, foram convidados para acompanhamento, juntamente com seus 95 irmãos não afetados pela hipercolesterolemia1 familiar.

Saiba mais sobre "Hipercolesterolemia1 familiar", "Colesterol2 alto", "Doenças cardiovasculares6" e "Estatinas - prós e contras".

Os participantes preencheram um questionário, forneceram amostras de sangue7 e realizaram medidas da espessura da camada íntima-média da carótida. A incidência8 de doença cardiovascular entre os pacientes com hipercolesterolemia1 familiar foi comparada a dos 156 pais afetados.

Da coorte9 original, 184 de 214 pacientes com hipercolesterolemia1 familiar (86%) e 77 de 95 irmãos (81%) foram observados no acompanhamento; entre os 214 pacientes, dados sobre eventos cardiovasculares e morte por causas cardiovasculares estavam disponíveis para 203 (95%) e 214 (100%), respectivamente.

O nível médio de colesterol2 LDL3 nos pacientes diminuiu de 237,3 para 160,7 mg por decilitro (de 6,13 para 4,16 mmol por litro) - uma redução de 32% em relação ao nível basal; os objetivos do tratamento (colesterol2 LDL3 <100 mg por decilitro [2,59 mmol por litro]) foram alcançados em 37 pacientes (20%).

A progressão média da espessura da camada íntima-média da carótida durante todo o período de acompanhamento foi de 0,0056 mm por ano em pacientes com hipercolesterolemia1 familiar e 0,0057 mm por ano em irmãos (diferença média ajustada por sexo, -0,0001 mm por ano; intervalo de confiança de 95%, -0,0010 a 0,0008).

A incidência8 cumulativa de eventos cardiovasculares e de morte por causas cardiovasculares aos 39 anos de idade foi menor entre os pacientes com hipercolesterolemia1 familiar do que entre os pais afetados (1% vs. 26% e 0% vs. 7%, respectivamente).

Neste estudo, o início da terapêutica4 com estatinas durante a infância em pacientes com hipercolesterolemia1 familiar diminuiu a progressão da espessura da camada íntima-média da carótida e reduziu o risco de doença cardiovascular na idade adulta.

O estudo foi financiado pela Academic Medical Center (AMC) Foundation.

Leia sobre "Como reduzir colesterol2 LDL3" e "Entendendo o colesterol2 do organismo".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine, publicação em 17 de outubro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. NEJM: acompanhamento de crianças com hipercolesterolemia familiar em uso de estatinas por 20 anos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1349018/nejm-acompanhamento-de-criancas-com-hipercolesterolemia-familiar-em-uso-de-estatinas-por-20-anos.htm>. Acesso em: 13 nov. 2019.

Complementos

1 Hipercolesterolemia: Aumento dos níveis de colesterol do sangue. Está associada a uma maior predisposição ao desenvolvimento de aterosclerose.
2 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
3 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
4 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
5 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!