Gostou do artigo? Compartilhe!

Neurology: alta precisão do beta-amiloide 42/40 plasmático na previsão do risco de demência da doença de Alzheimer

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O periódico Neurology publicou um estudo realizado com o objetivo de avaliar se o β-amiloide (Aβ) 42 / Aβ40 plasmático, medido por um ensaio de alta precisão, diagnosticou a amiloidose1 cerebral usando imagem de PET para amiloide ou p-tau181/Aβ42 de fluido cérebro2-espinhal (CSF) como padrões de referência.

Utilizando um ensaio de imunoprecipitação e cromatografia líquida - espectrometria de massa, mediu-se Aβ42/Aβ40 em amostras de plasma3 e de fluido cérebro2-espinhal (CSF) de 158 indivíduos, em sua maioria cognitivamente normais, que foram recolhidos dentro de 18 meses após uma PET com amiloide.

Níveis plasmáticos de Aβ42/Aβ40 tiveram uma alta correspondência com o status de PET amiloide (área característica operacional do receptor sob a curva [AUC4] 0,88; intervalo de confiança de 95% [IC] 0,82–0,93) e p-tau181/Aβ42 do CSF (AUC4 0,85; IC 95% 0,79-0,92). A combinação de Aβ42/Aβ40 plasmático, idade e estado de APOE ε4 tiveram uma correspondência muito alta com a PET amiloide (AUC4 0,94; IC 95% 0,90–0,97). Indivíduos com PET negativo para amiloide no início do estudo e Aβ42/Aβ40 positivo no plasma3 (<0,1218) tiveram um risco 15 vezes maior de conversão para PET amiloide positivo em comparação com indivíduos com Aβ42/Aβ40 plasmático negativo (p=0,01).

Os autores concluíram que o Aβ42/Aβ40 plasmático, especialmente quando combinado com idade e status APOE ε4, diagnostica com precisão a amiloidose1 cerebral e pode ser usado para rastrear indivíduos cognitivamente normais quanto à amiloidose1 cerebral. Indivíduos com uma tomografia negativa de PET amiloide e Aβ42/Aβ40 positiva no plasma3 estão em risco aumentado para a conversão para PET amiloide positivo. O Aβ42/Aβ40 plasmático pode ser utilizado em ensaios de prevenção para triagem de indivíduos com probabilidade de serem positivos para PET amiloide e em risco de demência5 da doença de Alzheimer6.

Este estudo fornece evidências de Classe II de que os níveis plasmáticos de Aβ42/Aβ40 determinam com precisão o status do PET amiloide em participantes de pesquisa cognitivamente normais.

Leia também sobre "Mal de Alzheimer7", "Demência5 frontotemporal" e "Demência5 vascular8".

 

Fonte: Neurology, em 1º de agosto de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Neurology: alta precisão do beta-amiloide 42/40 plasmático na previsão do risco de demência da doença de Alzheimer. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1342563/neurology-alta-precisao-do-beta-amiloide-42-40-plasmatico-na-previsao-do-risco-de-demencia-da-doenca-de-alzheimer.htm>. Acesso em: 3 jul. 2022.

Complementos

1 Amiloidose: Amiloidose constitui um grupo de doenças nas quais certas proteínas, que normalmente seriam solúveis, se depositam extracelularmente nos tecidos na forma de fibrilas insolúveis.
2 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
3 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
4 AUC: A área sob a curva ROC (Receiver Operator Characteristic Curve ou Curva Característica de Operação do Receptor), também chamada de AUC, representa a acurácia ou performance global do teste, pois leva em consideração todos os valores de sensibilidade e especificidade para cada valor da variável do teste. Quanto maior o poder do teste em discriminar os indivíduos doentes e não doentes, mais a curva se aproxima do canto superior esquerdo, no ponto que representa a sensibilidade e 1-especificidade do melhor valor de corte. Quanto melhor o teste, mais a área sob a curva ROC se aproxima de 1.
5 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
6 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
7 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
8 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!