Gostou do artigo? Compartilhe!

Stroke: maior incidência de AVC isquêmico em pacientes em uso de novos anticoagulantes orais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O aumento do uso de novos anticoagulantes1 orais (NOACs) para controlar a fibrilação atrial é em grande parte impulsionado pela suposição de que eles são igualmente eficazes em comparação com a varfarina na prevenção do AVC isquêmico2, ao mesmo tempo em que colocam os pacientes em menor risco de hemorragia3. Para testar esta hipótese, um estudo retrospectivo4 de incidência5 relativa de AVC entre pacientes que tomam NOACs versus aqueles que tomam varfarina foi realizado e publicado na revista científica Stroke.

Saiba mais sobre "Fibrilação artrial", "Anticoagulantes1" e "Acidentes vasculares6 cerebrais".

A incidência5 relativa de acidentes vasculares6 cerebrais nos dois grupos de pacientes foi comparada usando odds ratio e teste exato de Fisher para significância usando um conjunto de dados de 71.365 pacientes em uso de NOACs e 59.546 pacientes em uso de varfarina. Além disso, os 7.033 pacientes com registro de uso de ambos os medicamentos, varfarina e NOACs, foram analisados como uma coorte7 separada.

Há uma frequência significativamente maior (razão de chances = 1,29, <0,001) de acidentes vasculares6 cerebrais isquêmicos entre pacientes para os quais foram prescritos NOACs em comparação com aqueles em uso de varfarina. A frequência relativa de acidentes vasculares6 cerebrais isquêmicos também foi maior para cada NOAC individual em comparação com a varfarina (essas altas frequências são estatisticamente significativas para dabigatrana e apixabana, embora não para edoxabana e rivaroxabana).

Há uma menor incidência5 de hemorragias8 intracranianas e hemorragias8 não-traumáticas em geral entre os pacientes em uso de NOACs, consistente com a literatura publicada. Comparações dos perfis demográficos e clínicos dos pacientes que tomavam NOACs com aqueles que tomavam varfarina não mostraram risco de base para o AVC significativamente maior em pacientes com NOAC; de fato, os pacientes em uso de NOACs tendem a estar em menor risco geral para apresentar um AVC isquêmico2.

Como o uso de NOAC foi associado a um maior risco de AVC isquêmico2, juntamente com um menor risco de hemorragia3 do que o uso de varfarina, neste estudo, pode-se concluir que os pacientes em uso de varfarina são mais fortemente anticoagulados. O efeito observado pode ser uma consequência secundária do controle da dose ou, alternativamente, um resultado de diferentes efeitos anticoagulantes1 entre os diferentes medicamentos.

Leia também sobre "Hipertensão arterial9".

 

Fonte: Stroke - volume 49, número 12, em 15 de outubro de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2019. Stroke: maior incidência de AVC isquêmico em pacientes em uso de novos anticoagulantes orais. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1332128/stroke-maior-incidencia-de-avc-isquemico-em-pacientes-em-uso-de-novos-anticoagulantes-orais.htm>. Acesso em: 20 jan. 2019.

Complementos

1 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
2 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
3 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
4 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
8 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
Gostou do artigo? Compartilhe!