Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: segurança cardiovascular da lorcaserina em pacientes com sobrepeso ou obesos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um trabalho publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM), realizado por pesquisadores do Thrombolysis in Myocardial Infarction (TIMI) Study Group, da Division of Cardiovascular Medicine, do Brigham and Women’s Hospital, e demais colaboradores estudou a relação entre a lorcaserina e sua segurança cardiovascular em pacientes com sobrepeso1 ou obesos.

Saiba mais sobre "Cálculo2 do IMC3" e "Obesidade4".

Foram aleatoriamente atribuídos 12.000 pacientes com sobrepeso1 ou obesos com doença cardiovascular aterosclerótica ou múltiplos fatores de risco cardiovascular para receber lorcaserin (10 mg duas vezes ao dia) ou placebo5. O desfecho primário de segurança dos principais eventos cardiovasculares (um conjunto de morte cardiovascular, infarto do miocárdio6 ou acidente vascular cerebral7) foi avaliado em uma análise interina para excluir um limite de não inferioridade de 1,4. Se a não inferioridade fosse atingida, o resultado da eficácia cardiovascular primária (um conjunto de eventos cardiovasculares maiores, insuficiência cardíaca8, hospitalização por angina9 instável ou revascularização coronária - eventos cardiovasculares maiores prolongados) foi avaliado para superioridade no final do estudo.

Em um ano, a perda de peso de pelo menos 5% ocorreu em 1.986 de 5.135 pacientes (38,7%) no grupo da lorcaserina e em 883 de 5.083 (17,4%) no grupo placebo5 (P<0,001). Os pacientes do grupo lorcaserin apresentaram valores ligeiramente melhores em relação aos fatores de risco cardíaco (incluindo pressão arterial10, frequência cardíaca, controle glicêmico e lipídios) do que aqueles no grupo placebo5.

Durante um acompanhamento médio de 3,3 anos, a taxa do desfecho primário de segurança foi de 2,0% ao ano no grupo lorcaserina e 2,1% ao ano no grupo placebo5 (razão de risco de 0,99; IC 95% 0,85 a 1,14; P<0,001 para não inferioridade); a taxa de eventos cardiovasculares maiores prolongados foi de 4,1% ao ano e 4,2% ao ano, respectivamente (razão de risco de 0,97; IC 95% 0,87 a 1,07; P=0,55). Os eventos adversos de interesse especial eram incomuns e as taxas foram geralmente semelhantes nos dois grupos, exceto por um número maior de pacientes com hipoglicemia11 grave no grupo lorcaserin (13 vs 4, P=0,04).

As conclusões mostram que em uma população de alto risco de pacientes com sobrepeso1 ou obesos, a lorcaserina facilitou a perda de peso sustentada sem uma taxa alta de eventos cardiovasculares maiores do que aquela com o placebo5.

Leia sobre "Doenças cardiovasculares12", "Insuficiência cardíaca8", "Angina9 de peito13", "Ponte de safena" e "Hipertensão arterial14".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), em 26 de agosto de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. NEJM: segurança cardiovascular da lorcaserina em pacientes com sobrepeso ou obesos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1324468/nejm-seguranca-cardiovascular-da-lorcaserina-em-pacientes-com-sobrepeso-ou-obesos.htm>. Acesso em: 13 dez. 2018.

Complementos

1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
3 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
4 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
5 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
6 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
7 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
8 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
9 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
10 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
11 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
13 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
14 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
Gostou do artigo? Compartilhe!