Gostou do artigo? Compartilhe!

Anticonvulsivantes não se mostraram eficazes no tratamento da lombalgia e da dor radicular lombar: revisão sistemática e metanálise publicada pelo CMAJ

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Oliver Enke e outros colaboradores da Universidade de Sydney, na Austrália, publicaram no periódico CMAJ (Canadian Medical Association Journal) um estudo que avaliou o uso de anticonvulsivantes no tratamento da dor lombar e da dor radicular lombar.

O uso de anticonvulsivantes (por exemplo, gabapentina, pregabalina) para tratar a dor lombar aumentou substancialmente nos últimos anos, apesar de evidências limitadas de apoio ao uso. O objetivo da equipe da Universidade de Sidney foi determinar a eficácia e a tolerabilidade de anticonvulsivantes no tratamento da dor lombar e dor radicular lombar em comparação com o placebo1.

A pesquisa foi realizada em 5 bases de dados para estudos comparando um anticonvulsivante ao placebo1 em pacientes com dor lombar não específica, ciática ou claudicação2 neurogênica de qualquer duração. Os desfechos foram autorrelato de dor, incapacidade e eventos adversos. O risco de viés foi avaliado usando a escala Physiotherapy Evidence Database (PEDro), e a qualidade das evidências foi avaliada usando Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation (GRADE). Os dados foram agrupados e os efeitos do tratamento foram quantificados usando diferenças médias para razões contínuas e de risco para desfechos dicotômicos.

Leia sobre "Motivos das dores nas costas3", "Dor ciática", "Claudicação intermitente4" e "Dor crônica".

Os pesquisadores examinaram nove estudos de quase 900 pacientes com dor lombar crônica ou dor radicular lombar. Os pacientes receberam anticonvulsivantes (gabapentinoides ou topiramato) ou placebo1. Os gabapentinoides não tiveram efeito na dor lombar ou na incapacidade, mas o topiramato pareceu ter um pequeno efeito na dor a curto prazo. Nenhum tratamento afetou a dor radicular lombar.

Existem evidências de qualidades moderadas e altas de que os anticonvulsivantes são ineficazes para o tratamento da dor lombar ou da dor radicular lombar. Há evidências de alta qualidade de que os gabapentinoides apresentam alto risco de eventos adversos em relação ao placebo1, incluindo sonolência, tontura5 e náusea6. O topiramato não parece ter risco aumentado.

Os autores concluem que as evidências disponíveis até o momento não suportam o uso de anticonvulsivantes para dor lombar crônica ou dor radicular lombar. Esta revisão encontrou evidências de qualidade moderada a alta, sugerindo nenhum benefício de tratamento para dor e incapacidade, e nível de evidência apoiando o risco de danos.

Saiba mais sobre "Dores nas Costas3", "Discite", "Instabilidade da coluna" e "Hérnia7 de hiato".

 

Fonte: CMAJ, volume 190, número 26, em 3 de julho de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. Anticonvulsivantes não se mostraram eficazes no tratamento da lombalgia e da dor radicular lombar: revisão sistemática e metanálise publicada pelo CMAJ. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1321228/anticonvulsivantes-nao-se-mostraram-eficazes-no-tratamento-da-lombalgia-e-da-dor-radicular-lombar-revisao-sistematica-e-metanalise-publicada-pelo-cmaj.htm>. Acesso em: 11 dez. 2018.

Complementos

1 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
2 Claudicação: 1. Falta de certeza; vacilação, hesitação. 2. No sentido figurado, pequeno erro; deslize, falta. 3. Pequena falha ou deficiência; imperfeição.
3 Costas:
4 Claudicação intermitente: Dor que aparece e desaparece nos músculos da perna. Esta dor resulta de uma falta de suprimento sanguíneo nas pernas e geralmente acontece quando a pessoa está caminhando ou se exercitando.
5 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
6 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
7 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
Gostou do artigo? Compartilhe!