Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeito da dissecção axilar versus ausência de dissecção axilar na sobrevivência geral de 10 anos entre mulheres com câncer de mama invasivo e metástase de nódulo sentinela

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Neste ensaio clínico randomizado1, incluindo 856 mulheres, após acompanhamento médio de 9,3 anos, a sobrevivência2 global para pacientes3 com câncer4 de mama5 T1 ou T2 invasivo tratadas com dissecção ganglionar sentinela isolada não foi inferior às tratadas com a dissecção linfonodal axilar complementar (86,3% vs 83,6%, respectivamente).

Saiba mais sobre "Câncer4 de mama5 e fatores de risco".

Os resultados do estudo clínico do American College of Surgeons Oncology Group Z0011 (ACOSOG Z0011) foram relatados pela primeira vez em 2005 (acompanhamento médio de 6,3 anos). Maior tempo de acompanhamento foi necessário pois a maioria das pacientes apresentava tumores positivos para receptores de estrogênio que podem ocorrer mais tarde no curso da doença (o ACOSOG faz parte agora da Alliance for Clinical Trials in Oncology).

Com o objetivo de determinar se a sobrevivência2 global de 10 anos de pacientes com metástases6 ganglionares sentinelas tratadas com terapia de conservação de mama5 e dissecção apenas de linfonodo7 sentinela (SLND) sem dissolução de linfonodo7 axilar (ALND) não é inferior a de mulheres tratadas com dissecção axilar, foi realizado o ensaio clínico randomizado1, de fase 3, da ACOSOG Z0011.

Foram matriculadas pacientes de maio de 1999 a dezembro de 2004, em 115 locais (centros médicos universitários e comunitários). A última data de acompanhamento foi 29 de setembro de 2015, no ensaio clínico ACOSOG Z0011 (Alliance). As pacientes elegíveis eram mulheres com câncer4 de mama5 clínico T1 ou T2 invasivo, sem adenopatia8 axilar palpável e 1 ou 2 linfonodos9 sentinela contendo metástases6.

Todas as pacientes tiveram lumpectomia planejada, irradiação tangencial total de mama5 e terapia sistêmica adjuvante. A radiação do terceiro campo foi proibida. O resultado primário foi a sobrevivência2 global e o resultado secundário foi a sobrevivência2 livre de doença.

Entre 891 mulheres que foram randomizadas (idade média de 55 anos), 856 (96%) completaram o ensaio clínico (446 no grupo de SLND apenas e 445 no grupo ALND). Em um seguimento médio de 9,3 anos, a sobrevida10 global de 10 anos foi de 86,3% no grupo com SLND apenas e 83,6% no grupo ALND. A sobrevida10 livre de doença em 10 anos foi de 80,2% no grupo com SLND apenas e 78,2% no grupo ALND. Entre o ano 5 e o ano 10, apenas uma recidiva11 regional foi observada no grupo do SLND versus nenhuma no grupo ALND. A recorrência12 regional de dez anos não diferiu significativamente entre os dois grupos.

As conclusões deste estudo mostram que, entre as mulheres com câncer4 de mama5 primário invasivo T1 ou T2, sem adenopatia8 axilar palpável e 1 ou 2 linfonodos9 sentinelas com metástases6, a sobrevivência2 global de 10 anos para pacientes3 tratadas apenas com dissecção ganglionar sentinela não foi inferior à sobrevida10 global para aquelas tratadas com dissecção dos linfonodos9 axilares. Esses achados não apoiam o uso rotineiro da dissecção dos linfonodos9 axilares nessa população de pacientes com base em resultados de acompanhamento de 10 anos.

Leia também: "Câncer4 de mama5: como se preparar para uma consulta" e "Sete recomendações do INCA para reduzir a mortalidade13 por câncer4 de mama5 no Brasil: prevenção e controle".

 

Fonte: JAMA, publicação online de 12 de setembro de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Efeito da dissecção axilar versus ausência de dissecção axilar na sobrevivência geral de 10 anos entre mulheres com câncer de mama invasivo e metástase de nódulo sentinela. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1304883/efeito-da-disseccao-axilar-versus-ausencia-de-disseccao-axilar-na-sobrevivencia-geral-de-10-anos-entre-mulheres-com-cancer-de-mama-invasivo-e-metastase-de-nodulo-sentinela.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
2 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
3 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
7 Linfonodo: Gânglio ou nodo linfático.
8 Adenopatia: Aumento anormal dos gânglios linfáticos. Pode ser acompanhado de dor, aumento da consistência, aderência a planos profundos, etc. É frequente em diversas situações, como infecções, inflamações, neoplasias, etc.
9 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
10 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
11 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
12 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
13 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!