Gostou do artigo? Compartilhe!

Índice de massa corporal e incidência de diabetes tipo 1 e tipo 2 em crianças e jovens: obesidade aumenta em quatro vezes o risco de diabetes do tipo 2

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pouco se sabe sobre a associação entre obesidade1 e as tendências temporais na incidência2 de diabetes mellitus3 em crianças e adultos jovens. Pesquisadores do King’s College London examinaram a incidência2 recente de diabetes tipo 14 (DM1) e diabetes tipo 25 (DM2) em relação ao índice de massa corporal6 (IMC7) elevado em crianças e adultos jovens ingleses.

Saiba mais sobre "Diabetes Mellitus3" e "Cálculo8 do IMC7".

Para avaliar melhor esta associação, os pesquisadores fizeram uma análise incluindo 369.362 participantes, com idades entre 2 e 15 anos, com medições do IMC7 no UK Clinical Practice Research Datalink (CPRD), entre 1994 e 2013, avaliando a incidência2 de DM2 e de DM1.

Houve 654 casos novos de DM2 e 1.318 de DM1. A incidência2 de DM2 por 100.000 pessoas por ano aumentou de 6,4 em 1994-8 para 33,2 em 2009-13 e a incidência2 de DM1 aumentou de 38,2 para 52,1 por 100.000 pessoas durante o mesmo período. A incidência2 de DM2 aumentou em indivíduos com sobrepeso9 (percentil 85 a 95 para IMC7 específico da idade e sexo, P=0,01) e obesos (percentil ≥95 para IMC7 específico da idade e sexo, P<0,01) entre 1994 e 2013. Os indivíduos obesos, que constituíram 47,1% dos casos de DM2, apresentaram um risco marcadamente mais elevado de incidência2 de DM2 (odds ratio 3,75 [IC95%: 3,07-4,57]), com uma taxa de incidência2 de 4,33 (IC95%: 3,68-5,08), em comparação com a categoria com IMC7 normal. Não houve associação linear positiva entre obesidade1 (maior IMC7) e a incidência2 de DM1.

Concluiu-se, neste trabalho, que o aumento da obesidade1 está contribuindo para a crescente incidência2 de DM2, mas não de DM1, entre crianças e jovens no Reino Unido, com um risco quatro vezes maior de desenvolver DM2 em pessoas obesas.

Veja também sobre "Obesidade1" e "Hemoglobina glicosilada10".

 

Fonte: Journal of the Endocrine Society, em 25 de abril de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Índice de massa corporal e incidência de diabetes tipo 1 e tipo 2 em crianças e jovens: obesidade aumenta em quatro vezes o risco de diabetes do tipo 2. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1296313/indice-de-massa-corporal-e-incidencia-de-diabetes-tipo-1-e-tipo-2-em-criancas-e-jovens-obesidade-aumenta-em-quatro-vezes-o-risco-de-diabetes-do-tipo-2.htm>. Acesso em: 23 out. 2019.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
4 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
5 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
6 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
9 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
10 Hemoglobina glicosilada: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
Gostou do artigo? Compartilhe!