Gostou do artigo? Compartilhe!

Tratamento para dor lombar aguda, subaguda e crônica: diretriz do American College of Physicians

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O American College of Physicians (ACP) desenvolveu esta diretriz para apresentar as evidências e fornecer as recomendações clínicas sobre o tratamento não invasivo da dor lombar.

Usando o sistema de classificação ACP, o comitê baseou essas recomendações em uma revisão sistemática de ensaios randomizados e controlados e de revisões sistemáticas, publicados até abril de 2015, sobre tratamentos não farmacológicos e farmacológicos não invasivos para a dor lombar. As buscas atualizadas foram realizadas até novembro de 2016.

Os desfechos clínicos avaliados incluíram redução ou eliminação da dor lombar, melhora na função específica e global, melhoria da qualidade de vida relacionada à saúde1, redução da incapacidade para o trabalho e retorno ao trabalho, redução do número de episódios de dor nas costas2 ou da recorrência3 dos episódios de dor, além da satisfação do paciente e os efeitos adversos apresentados.

O público-alvo desta diretriz inclui todos os clínicos e a população-alvo de pacientes adultos com dor lombar aguda, subaguda4 ou crônica.

Saiba mais nos artigos "Você tem “dores nas costas”? Por quê?", "Dores nas costas2" e "Lombalgia5, dor nas costas2 ou dor lombar: ela te incomoda?".

Recomendação 1:

Dado que a maioria dos pacientes com dor lombar aguda ou subaguda4 melhora ao longo do tempo, independentemente do tratamento, os clínicos e os pacientes devem selecionar o tratamento não-farmacológico com calor superficial (evidência de qualidade moderada), massagem, acupuntura ou manipulação espinhal (evidência de qualidade baixa). Caso o tratamento farmacológico seja desejado, os clínicos e os doentes devem escolher os medicamentos anti-inflamatórios não esteroides ou relaxantes musculares esqueléticos (evidência de qualidade moderada). [Grau: forte recomendação].

Recomendação 2:

Para pacientes6 com dor lombar crônica, os clínicos e os pacientes devem inicialmente selecionar o tratamento não-farmacológico com exercícios, reabilitação multidisciplinar, acupuntura, redução do estresse baseado na atenção plena (evidência de qualidade moderada), tai chi chuan, ioga, exercício de controle motor, relaxamento progressivo, biofeedback eletromiográfico, terapia a laser de baixo nível, terapia operante, terapia cognitivo7-comportamental ou manipulação espinhal (evidência de baixa qualidade). [Grau: forte recomendação].

Recomendação 3:

Em pacientes com dor lombar crônica que tiveram uma resposta inadequada à terapia não-farmacológica, os clínicos e os pacientes devem considerar o tratamento farmacológico com anti-inflamatórios não esteroidais como terapia de primeira linha, tramadol ou duloxetina como terapia de segunda linha. Os clínicos só devem considerar o uso de opioides como uma opção de tratamento para pacientes6 em que os tratamentos acima mencionados falharam e somente se os benefícios potenciais superarem os riscos para os pacientes individualmente e após uma discussão com os pacientes sobre os riscos conhecidos e os reais benefícios. [Grau: recomendação fraca, evidência de qualidade moderada].

Veja também sobre "Prevenir dores nas costas2 de mães que tiveram bebês8 recentemente", "Dor crônica", "Acupuntura" e "Fisioterapia9".

 

Fonte: Annals of Internal Medicine, publicação online, de 14 de fevereiro de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Tratamento para dor lombar aguda, subaguda e crônica: diretriz do American College of Physicians. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1288448/tratamento-para-dor-lombar-aguda-subaguda-e-cronica-diretriz-do-american-college-of-physicians.htm>. Acesso em: 26 jan. 2020.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Costas:
3 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
4 Subaguda: Levemente aguda ou que apresenta sintomas pouco intensos, mas que só se atenuam muito lentamente (diz-se de afecção ou doença).
5 Lombalgia: Dor produzida na região posterior inferior do tórax. As pessoas com lombalgia podem apresentar contraturas musculares, distensões dos ligamentos da coluna, hérnias de disco, etc. É um distúrbio benigno que pode desaparecer com uso de antiinflamatórios e repouso.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
8 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
9 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!