Gostou do artigo? Compartilhe!

Metilfenidato é seguro para o sistema cardiovascular de crianças e jovens com déficit de atenção / hiperatividade (TDAH)?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para determinar se o tratamento com metilfenidato em crianças e jovens com transtorno de déficit de atenção / hiperatividade (TDAH) está associado a eventos cardiovasculares foi realizada uma análise de séries de casos, entre 1° de janeiro de 2008 a 31 de dezembro de 2011, na Coreia do Sul.

Os participantes foram 1224 pacientes, com idade menor ou igual a 17 anos, que tinham apresentado um evento cardiovascular incidente1 e tinham pelo menos uma prescrição de metilfenidato. O resultado principal mediu o diagnóstico2 (ou uma causa primária ou secundária) de qualquer dos seguintes eventos adversos cardiovasculares: arritmias3, hipertensão arterial4, infarto do miocárdio5, acidente vascular cerebral6 isquêmico7 ou insuficiência cardíaca8.

O aumento do risco de arritmia9 foi observado em todos os períodos de exposição à medicação, ou seja, nos períodos de tratamento com o metilfenidato, sendo o risco maior para as crianças que tinham doença cardíaca congênita10. Não se observou risco significativo de infarto do miocárdio5 para todos os períodos de tempo em que as crianças estavam expostas à medicação, apesar do risco ser maior nos primeiros dias de tratamento com metilfenidato (8 a 56 dias após o início do tratamento). Não foram observados riscos significativamente aumentados para hipertensão11, acidente vascular cerebral6 isquêmico7 ou insuficiência cardíaca8.

Concluiu-se que o risco relativo de infarto do miocárdio5 e arritmias3 cardíacas está aumentado no período inicial após o início do tratamento com metilfenidato para crianças e jovens com TDAH. Embora o risco absoluto seja provavelmente baixo, a relação risco-benefício do metilfenidato deve ser cuidadosamente considerada, particularmente em crianças com TDAH leve antes de se iniciar um tratamento medicamentoso.

 

Fonte: British Medical Journal (BMJ), de 31 de maio de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Metilfenidato é seguro para o sistema cardiovascular de crianças e jovens com déficit de atenção / hiperatividade (TDAH)?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1265878/metilfenidato-e-seguro-para-o-sistema-cardiovascular-de-criancas-e-jovens-com-deficit-de-atencao-hiperatividade-tdah.htm>. Acesso em: 27 fev. 2020.

Complementos

1 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
4 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
5 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
6 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
8 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
9 Arritmia: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
10 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
11 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
Gostou do artigo? Compartilhe!