Gostou do artigo? Compartilhe!

Suplementação com uma única dose de vitamina D ajuda a melhorar in vitro a imunidade contra a tuberculose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado no American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine mostra que a suplementação1 com uma única dose de vitamina2 D pode melhorar a habilidade do organismo de inibir in vitro o crescimento da Mycobacterium tuberculosis, bactéria3 que causa a tuberculose4.

Para determinar o efeito da suplementação1 de vitamina2 D na imunidade5 contra as micobactérias, um estudo duplo-cego6 randomizado7 com 192 adultos saudáveis e em contato com pacientes com tuberculose4 foi conduzido em Londres.

Os participantes receberam uma única dose de 2,5 mg de vitamina2 D ou placebo8 e foram acompanhados por 6 semanas. Foram colhidas amostras de sangue9 que mostraram que a suplementação1 de uma única dose de 2,5 mg de vitamina2 D melhora significativamente a habilidade do organismo de inibir in vitro o crescimento da bactéria3 que causa a tuberculose4.

Pesquisadores da Queen Mary's School of Medicine e do Imperial College disseram que são necessários estudos clínicos para determinar se a suplementação1 de vitamina2 D previne a reativação da infecção10 latente pela bactéria3 que causa a tuberculose4.

A vitamina2 D foi originalmente usada para tratar a tuberculose4 em sanatórios, quando não existiam antibióticos disponíveis para o tratamento desta doença respiratória. Até o momento, nenhum estudo tinha avaliado o efeito da vitamina2 D na imunidade5 contra as micobactérias, família de bactérias que causam a tuberculose4.

Fonte: American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine

NEWS.MED.BR, 2007. Suplementação com uma única dose de vitamina D ajuda a melhorar in vitro a imunidade contra a tuberculose. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11263/suplementacao-com-uma-unica-dose-de-vitamina-d-ajuda-a-melhorar-in-vitro-a-imunidade-contra-a-tuberculose.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.

Complementos

1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
3 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
4 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
5 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
6 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
7 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
8 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!