Atalho: 5F4XE7T
Gostou do artigo? Compartilhe!

Iogurtes probióticos podem reduzir o número de infecções em crianças, segundo artigo publicado no European Journal of Clinical Nutrition

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition, realizado por pesquisadores da Georgetown University Medical Center, avaliou o uso diário de iogurtes probióticos1 em crianças e mostrou que eles ajudam a reduzir o número de infecções2 comuns. Os iogurtes com cepas3 da bactéria4 Lactobacillus casei DN-114 001 mostraram cumprir esta função.

O estudo duplo-cego5, randomizado6, controlado com placebo7 foi realizado em Washington, DC. Participaram 683 crianças com idades entre 3 e 6 anos que passavam o dia em escola ou creche. Metade recebeu iogurte probiótico8 diariamente e a outra metade recebeu placebo7 durante noventa dias consecutivos.

Os resultados mostram que aquelas que receberam os iogurtes probióticos1 apresentaram menor incidência9 de doenças infecciosas comuns, uma queda de 24% nas infecções2 gastrointestinais e de 18% nas infecções2 em via respiratória alta em relação ao grupo controle. Os iogurtes com cepas3 probióticas de L. casei DN-114 001 mostraram ser efetivos para evitar infecções2 em crianças.

Fonte: European Journal of Clinical Nutrition de 19 de maio de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Iogurtes probióticos podem reduzir o número de infecções em crianças, segundo artigo publicado no European Journal of Clinical Nutrition. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/59349/iogurtes-probioticos-podem-reduzir-o-numero-de-infeccoes-em-criancas-segundo-artigo-publicado-no-european-journal-of-clinical-nutrition.htm>. Acesso em: 31 mar. 2020.

Complementos

1 Iogurtes probióticos: São iogurtes feitos com leite fermentado enriquecido com lactobacilos vivos. Estes microorganismos vivos resistem ao processo de digestão e chegam ao intestino de forma íntegra, atuando na recomposição e no equilíbrio da flora local.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
4 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
5 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
6 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Iogurte probiótico: Iogurte feito com leite fermentado enriquecido com lactobacilos vivos. Estes microorganismos vivos resistem ao processo de digestão e chegam ao intestino de forma íntegra, atuando na recomposição e no equilíbrio da flora local.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!