Gostou do artigo? Compartilhe!

Delirium após cirurgia cardíaca pode predizer declínio cognitivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

“A prevenção do delirium1 pós-operatório pode ser uma estratégia para evitar o declínio cognitivo”, diz o pesquisador Charles Brown, da Johns Hopkins University School of Medicine, em Baltimore.

O delírio2 ocorre em cerca de metade de todos os pacientes após uma cirurgia cardíaca e tem sido associado a consequências no longo prazo, como declínio cognitivo3 e mortalidade4. No entanto, o seu risco real ainda não é conhecido.

No presente estudo, apresentado no congresso Anesthesiology 2014, da American Society of Anesthesiologists (ASA), os pesquisadores utilizaram metodologia rigorosa e extensas avaliações psicométricas para determinar se o delírio2 após cirurgia cardíaca está associado ao declínio cognitivo3.

Os participantes foram 66 pacientes que se submeteram à cirurgia de revascularização do miocárdio5 (CRM) ou cirurgia valvar envolvendo circulação6 extracorpórea; todos foram considerados de alto risco para lesão7 neurológica.

Assistentes de pesquisa treinados diagnosticaram o delirium1 pós-operatório utilizando o Confusion Assessment Method (CAM) ou CAM-ICU, em três dos quatro primeiros dias de pós-operatório. O CAM procura por início agudo8 e curso flutuante, desatenção, pensamento desorganizado e alteração do nível de consciência.

A gravidade do delírio2 foi determinada pela escala Delirium1 Rating Scale-Revised-98. Os testes psicométricos foram administrados antes da cirurgia e quatro a seis semanas após a cirurgia. Vários domínios cognitivos9 conhecidos por serem afetados pela cirurgia cardíaca foram avaliados com os testes Rey Auditory Verbal Learning Test, Rey-Osterrieth Complex Figure Test, Controlled Oral Word Association Test, Symbol Digits Modalities Test e o Trail Making Test, Parte B.

O desfecho primário foi a mudança no Z-score cognitivo3 composto a partir da linha de base. Após ajustes para idade, história de acidente vascular cerebral10 e tempo de circulação6 extracorpórea, os investigadores determinaram a associação entre o delírio2 e a mudança no Z-score cognitivo3 composto. Dos 66 pacientes atendidos, 35 (idade média de 69 anos) foram submetidos a avaliações de delírio2 e testes cognitivos9 completos no início e no acompanhamento. Acidente vascular cerebral10 anterior foi observado em 9,1% dos participantes. Os procedimentos cirúrgicos incluíram CRM (51%), cirurgia de válvula aórtica ou mitral (34%) e uma combinação dos dois (14%). O tempo médio de circulação6 extracorpórea foi de 102 minutos.

A incidência11 de delírio2 na população estudada foi de 48% e a mediana do escore de gravidade do delírio2 foi de 5. A mudança na média Z-score cognitivo3 composto foi melhor em pacientes sem delírio2 no pós-operatório do que naqueles com delirium1 pós-operatório. Os pacientes com delirium1 pós-operatório apresentaram um declínio em relação à linha de base.

Mesmo após os ajustes para idade, história de acidente vascular cerebral10 e tempo de circulação6 extracorpórea, a presença de delirium1 pós-operatório ainda foi associado à diminuição no escore Z cognitivo3 composto. Cada aumento no quartil de gravidade de delírio2 foi associado à diminuição de 0,22 no Z-score cognitivo3 composto (p=0,004). Delírios mais graves indicaram evidências de maior declínio cognitivo3 e isso foi altamente significativo nesta pesquisa.

Os investigadores reconhecem que estudos com um grupo maior de pacientes e com um período de seguimento mais longo são necessários para confirmar os resultados encontrados.

Fonte: Anesthesiology 2014, da American Society of Anesthesiologists (ASA) 

NEWS.MED.BR, 2014. Delirium após cirurgia cardíaca pode predizer declínio cognitivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/582837/delirium-apos-cirurgia-cardiaca-pode-predizer-declinio-cognitivo.htm>. Acesso em: 16 jul. 2018.

Complementos

1 Delirium: Alteração aguda da consciência ou da lucidez mental, provocado por uma causa orgânica. O delirium tem causa orgânica e cessa se a causa orgânica cessar. Ele pode acontecer nos traumas cranianos, nas infecções etc. Os exemplos mais típicos são o delirium do alcoólatra crônico e o delirium febril.
2 Delírio: Delirio é uma crença sem evidência, acompanhada de uma excepcional convicção irrefutável pelo argumento lógico. Ele se dá com plena lucidez de consciência e não há fatores orgânicos.
3 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
6 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
7 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
8 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
9 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
10 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
11 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!