Atalho: 6KPHMR6
Gostou do artigo? Compartilhe!

UNIFESP: 67% dos pais oferecem alimentos industrializados aos filhos antes do primeiro ano de vida

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisa realizada pela disciplina de Nutrologia do Departamento de Pediatria da UNIFESP com 270 pais de crianças frequentadoras de berçários de creches públicas e filantrópicas da capital paulista apontou que a introdução de alimentos industrializados1 – como macarrão instantâneo, açúcar2 refinado, suco de frutas artificial, salgadinhos e embutidos – começa antes dos três meses de idade e são ofertados às crianças por 67% dos pais antes que seus filhos completem um ano de idade.

A nutricionista3 e autora da pesquisa, Maysa Helena de Aguiar Toloni, diz que a ingestão precoce, continuada e excessiva de alimentos altamente calóricos e de baixo valor nutricional está associada ao abandono do aleitamento materno4 e ao baixo consumo de frutas, legumes, cereais e hortaliças. Este tipo de alimentação pode comprometer o crescimento e o desenvolvimento infantil, além de desencadear processos alérgicos, carências de vitaminas e minerais, obesidade5 infantil e o surgimento das chamadas Doenças Crônicas Não Transmissíveis - diabetes6, hipertensão arterial7, obesidade5, dislipidemia, acidente vascular cerebral8, câncer9, artrose10, enfisema11 pulmonar dentre outras.

A pesquisa mostra que, até os três meses de vida, 31% dos pais afirmaram ter oferecido açúcar2 ao filho; 49%, chás e, 18%, mel. Até os doze meses, o açúcar2 atinge o índice de 87%, o chá, 88%, e, o mel, 73%.

Doze por cento das crianças entre o primeiro e o sexto mês de vida já experimentaram refrigerantes e, até os noves meses, esse índice sobe para quase 20%, chegando a 56,5% até o primeiro ano de vida. Os refrigerantes são ricos em açúcar2, contêm corantes e aditivos químicos, são pobres em nutrientes e hipercalóricos.

A nutricionista3 ressalta a importância de se manter a amamentação exclusiva12 até os seis meses de vida, sendo desnecessária a oferta de água, chás ou qualquer outro alimento sólido ou líquido.

O mel não deve ser oferecido a crianças abaixo de um ano de idade, pelo risco de botulismo13, devido à imaturidade da flora intestinal.

A pesquisa foi realizada em 2007 por meio de questionário estruturado e previamente testado para a coleta de dados. Para cada alimento investigado foi registrada a idade de introdução e avaliada a concordância com o oitavo passo do Guia Alimentar do Ministério da Saúde14

Fonte: UNIFESP

NEWS.MED.BR, 2009. UNIFESP: 67% dos pais oferecem alimentos industrializados aos filhos antes do primeiro ano de vida. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/37423/unifesp-67-dos-pais-oferecem-alimentos-industrializados-aos-filhos-antes-do-primeiro-ano-de-vida.htm>. Acesso em: 22 set. 2019.

Complementos

1 Alimentos industrializados: São aqueles que passam por processamento industrial (larga escala) ou doméstico, contendo elementos químicos. Este processo de transformação, mesmo que caseiro, é percebido como menos saudável que o natural. Geralmente estes produtos sofrem junção com outro tipo de produto, como conservantes, ou alterações em sua temperatura. Exemplo: qualquer produto enlatado, engarrafado ou embutidos.
2 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
3 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
4 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
8 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
10 Artrose: Também chamada de osteoartrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da artrose.
11 Enfisema: Doença respiratória caracterizada por destruição das paredes que separam um alvéolo de outro, com conseqüente perda da retração pulmonar normal. É produzida pelo hábito de fumar e, em algumas pessoas, pela deficiência de uma proteína chamada Antitripsina.
12 Amamentação exclusiva: Uso do leite materno, habitualmente até os 6 meses de vida como único alimento da criança, não sendo admitidos chás ou água como exceção.
13 Botulismo: Intoxicação alimentar causada pela ingestão da toxina de uma bactéria chamada Clostridium botulinum, que produz um quadro grave de paralisia de alguns nervos motores.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

30/07/2009 - Complemento feito por Dr.
Re: UNIFESP: 67% dos pais oferecem alimentos industrializados aos filhos antes do primeiro ano de vida
A informação de que o mel não deve ser ofertado a menores de 1 ano não encontra força de evidência na literatura que a sustente.
O que existe é um estudo da Universidade Federal do Ceará, que apontou colonização de amostras de mel coletas em produtos vendidos em mercados públicos e feiras livres. Não há nenhum caso relatado de botulismo em crianças pelo consumo de mel.
Se assim o fosse, as mães portadoras de Hepatite C também não poderiam amamentar seus filhos, já que o vírus é encontrado em sua forma viável no leite.
O correto é oferecer o mel apenas sob recomendação médica (milenarmente usado para alívio da tosse nas gripes e resfriados, e fonte de diversas vitaminas e nutrientes), e procurar oferecer o mel vendido com procedência e higiene na sua manipulação, preferencialmente adquirindo-o em supermercados e farmácias e verificando a existência dos selos de registro e fiscalização do produto pela vigilância sanitária.

Atenciosamente,

Dr. Leonardo Lins.

  • Entrar
  • Assinar