Atalho: 6K788AG
Gostou do artigo? Compartilhe!

Hepatite B: sangue seco é nova aposta para o diagnóstico da doença

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A infecção1 pelo vírus2 da hepatite3 B (HVB) é a segunda causa de hepatites4 virais no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde5. Atualmente, o diagnóstico6 da doença é feito a partir de amostras de soro7 ou de plasma sanguíneo8, o que torna indispensável a punção venosa do sangue9 dos pacientes. Em locais de difícil acesso, este método de detecção mostra-se, em muitos casos, inviável, pois exige equipamentos de laboratórios especializados e técnicos capacitados para coleta de sangue9, além da necessidade de transporte das amostras até laboratórios de análise. Como alternativa para o diagnóstico6 da hepatite3 B, cientistas do Laboratório de Hepatites4 Virais do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) propuseram uma nova abordagem, baseada na análise de amostras de sangue9 seco. A proposta mostrou-se eficaz, mais barata e de maior aplicabilidade em contextos de recursos limitados.

A ideia foi utilizar papel de filtro como base para a amostra, o que elimina a necessidade de refrigeração e facilita o transporte, combinado ao método comercial de ELISA, teste imunoenzimático utilizado na maioria dos laboratórios de diagnóstico6, que permite a detecção no plasma sanguíneo8 de anticorpos10 específicos para agentes patogênicos. Para isso, foi fundamental identificar quais marcadores da presença do vírus2 deveriam basear a metodologia inovadora.

A pesquisadora Lívia Melo Villar destaca a facilidade da coleta do material e a facilidade do transporte das amostras como pontos positivos da nova abordagem. A gota11 de sangue9 do dedo é pressionada no papel de filtro. O material passa por um processo de diluição para que o sangue9 fixado seja retirado do papel de filtro sendo, então, submetido ao método de ELISA. No método de diagnóstico6 convencional, o sangue9 é retirado por punção venosa, que deve ser realizada por um técnico especializado. Além disso, esse sangue9 deve ser centrifugado para obtenção do soro7 e, muitas vezes, essa centrifugação12 deve ser realizada no mesmo dia.

Três marcadores são utilizados como referência para o diagnóstico6 da hepatite3 B: HBsAG (presente no início da infecção1), anti-HBc (que aponta se o indivíduo teve contato com o vírus2) e anti-HBs (capaz de sinalizar se o indivíduo está imunizado para o vírus2). O estudo avaliou a otimização do método comercial de ELISA para detectar esses marcadores do HVB utilizando-se papel de filtro.

Os resultados do estudo mostram uma correlação entre a detecção de marcadores do vírus2 da hepatite3 B em amostras de soro7 e de sangue9 seco e confirmam que o método comercial de ELISA pode ser adaptado de forma eficaz para o uso de amostras de sangue9 seco. De acordo com Lívia, as descobertas são promissoras porque indicam a viabilidade de um teste de menor custo e mais facilmente disponível.

Fonte: Instituto Oswaldo Cruz (IOC)

Leia a reportagem completa em:

Sangue9 seco é nova aposta para diagnóstico6 da hepatite3 B

NEWS.MED.BR, 2012. Hepatite B: sangue seco é nova aposta para o diagnóstico da doença. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/311070/hepatite-b-sangue-seco-e-nova-aposta-para-o-diagnostico-da-doenca.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
3 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
4 Hepatites: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
8 Plasma Sanguíneo: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
11 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
12 Centrifugação: 1. Ato ou efeito de centrifugar; centrifugamento. 2. Aplicação de força centrífuga. 3. Afastamento, desvio do centro.
Gostou do artigo? Compartilhe!