Atalho: 6GHR50G
Gostou do artigo? Compartilhe!

Um em cada três adultos tem hipertensão arterial e um em cada dez adultos tem diabetes mellitus, de acordo com relatório da OMS

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Hipertensão arterial1 e diabetes mellitus2 estão aumentando mundialmente. O relatório da Organização Mundial de Saúde3 (OMS), The World health statistics 2012, divulgado hoje, ressalta o crescente problema do aumento de doenças não contagiosas.

Um em cada três adultos no mundo inteiro, de acordo com os novos dados, tem pressão arterial4 aumentada (hipertensão arterial1) - uma doença que provoca cerca de metade de todas as mortes por derrame5 cerebral e doenças cardíacas. Um em cada dez adultos tem diabetes mellitus2. Isso ocorre sobretudo em países de baixa e média renda, diz a Dra. Margaret Chan, Diretora Geral da OMS.

Pela primeira vez, o relatório da OMS incluiu informações de 194 países sobre a porcentagem de homens e mulheres com pressão arterial4 elevada e com alterações nos níveis de glicose6 no sangue7.

Em países de alta renda, o diagnóstico8 precoce e o tratamento generalizado com medicamentos de baixo custo reduziram significativamente a pressão arterial4 média entre as populações - e isso tem contribuído para uma diminuição das mortes por doenças do coração9. Na África, no entanto, estima-se que mais de 40% (e até 50%) dos adultos estejam com a pressão sanguínea elevada. A maioria dessas pessoas permanece sem diagnóstico8, apesar de muitos destes casos poderem ser tratados com medicamentos de baixo custo, o que reduziria significativamente o risco de morte e de invalidez por doença cardíaca e derrame5.

Embora a prevalência10 média global de diabetes mellitus2 seja de cerca de 10%, em alguns países do Pacífico esta prevalência10 é bem maior. Se não for tratada, a diabetes11 pode levar a doenças cardiovasculares12, cegueira e insuficiência renal13.

A obesidade14 é outra questão importante. Hoje, cerca de meio bilhão de pessoas são consideradas obesas. Os níveis mais elevados de obesidade14 foram observados nas Américas (26% dos adultos) e os mais baixos no Sudeste da Ásia (3% dos adultos). Em todas as partes do mundo, as mulheres são mais propensas a serem obesas do que os homens e, portanto, possuem maior risco de diabetes11, doenças cardiovasculares12 e alguns tipos de câncer15.

Doenças não transmissíveis atualmente causam quase dois terços de todas as mortes no mundo. O desafio em curso é o desenvolvimento de um processo de acompanhamento global e um conjunto de metas de prevenção e de controle dessas doenças.

Algumas das principais tendências no relatório deste ano são:

  • Mortalidade16 materna: de 1990 a 2012, houve uma queda de 47% na mortalidade16 materna. Um terço dessas mortes maternas ocorre em apenas dois países - Índia, com 20% do total mundial e Nigéria, com 14%.
  • Mortalidade16 em crianças: dados mostram que os avanços na saúde3 pública têm ajudado a salvar vidas de crianças na última década. O número de mortes de crianças reduziu de quase 10 milhões de crianças menores de 5 anos, em 2000, para 7,6 milhões de mortes anuais em 2010. O declínio nos números de mortes por doenças diarreicas e sarampo17 tem sido particularmente notável.

Fonte: WHO

NEWS.MED.BR, 2012. Um em cada três adultos tem hipertensão arterial e um em cada dez adultos tem diabetes mellitus, de acordo com relatório da OMS. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/299540/um-em-cada-tres-adultos-tem-hipertensao-arterial-e-um-em-cada-dez-adultos-tem-diabetes-mellitus-de-acordo-com-relatorio-da-oms.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.

Complementos

1 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
5 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
10 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
11 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
13 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
14 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
15 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
16 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
17 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
Gostou do artigo? Compartilhe!