Atalho: 6AGZMTO
Gostou do artigo? Compartilhe!

Duas novas vacinas serão oferecidas no calendário de vacinação infantil pelo Ministério da Saúde a partir de 2012

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Brasil irá ampliar o Calendário Básico de Vacinação da Criança com a introdução Vacina1 Inativada contra a Poliomielite2 (VIP), feita com vírus3 inativado. A nova vacina1 será utilizada no calendário de rotina, em paralelo com a campanha nacional de imunização4 (realizada com as duas gotinhas da vacina1 oral). A injetável, no entanto, só será aplicada para as crianças que estão iniciando o calendário de vacinação.

A introdução da Vacina1 Inativada Poliomielite2 (VIP), com vírus3 inativado, vem ocorrendo em países que já eliminaram a doença. Como o vírus3 da poliomielite2 ainda circula em 25 países, a Organização Pan-Americana de Saúde5 (OPAS) recomenda que os países das Américas continuem utilizando a vacina1 oral, com vírus3 atenuado, até a erradicação mundial da poliomielite2, o que garante uma proteção de grupo. O Brasil utilizará um esquema sequencial, com as duas vacinas, aproveitando as vantagens de cada uma, mantendo, assim, o país livre da doença. A VIP será aplicada aos dois e aos quatro meses de idade e a vacina1 oral será utilizada nos reforços, aos seis e aos 15 meses de idade.

A VIP será introduzida no calendário básico a partir do segundo semestre desse ano. As campanhas anuais contra poliomielite2 também serão modificadas a partir de 2012. Na primeira etapa - a ser realizada em 16 de junho - tudo continua como antes: todas as crianças menores de cinco anos receberão uma dose de VOP, independente de terem sido vacinadas anteriormente. Na segunda etapa - que ocorrerá em agosto - todas as crianças menores de cinco anos devem comparecer aos postos de saúde5, levando o Cartão de Vacinação. A caderneta será avaliada para a atualização das vacinas que estiverem em atraso. Essa segunda etapa será chamada de Campanha Nacional de Multivacinação, possibilitando que o país aumente as coberturas vacinais, atingindo as crianças de forma homogênea, em todos os municípios brasileiros.

Outra novidade para 2012 será a vacina1 pentavalente, que reúne em uma só dose a proteção contra cinco doenças (difteria6, tétano7, coqueluche8, Haemophilus influenza9 tipo b e hepatite10 B). Atualmente a imunização4 para estas doenças é oferecida em duas vacinas separadas.

“Com a inclusão da pentavalente no calendário vacinal vamos reduzir uma picada nas crianças, diminuindo as idas aos postos de saúde”, explicou o ministro Alexandre Padilha. Ele reforçou ainda a participação dos laboratórios públicos na produção de vacinas no país.

Pentavalente - A inclusão da vacina1 pentavalente no calendário da criança também será feita a partir do segundo semestre de 2012. A pentavalente combina a atual vacina1 tetravalente (difteria6, tétano7, coqueluche8, haemophilus influenza9 tipo b) com a vacina1 contra a hepatite10 B. Ela será produzida em parceria com os laboratórios Fiocruz/Bio-Manguinhos e Instituto Butantan. As crianças serão vacinadas aos dois, aos quatro e aos seis meses de idade.

Com o novo esquema, além da pentavalente, a criança manterá os dois reforços com a vacina1 DTP (difteria6, tétano7, coqueluche8). O primeiro a partir dos 12 meses e, o segundo reforço, entre 4 e 6 anos. Além disso, os recém-nascidos continuam a receber a primeira dose da vacina1 hepatite10 B nas primeiras 12 horas de vida para prevenir a transmissão vertical (transmissão de mãe para filho).

Heptavalente - No prazo de quatro anos, o Ministério da Saúde5 deverá transformar a pentavalente em heptavalente, com a inclusão das vacinas inativada poliomielite2 e meningite11 C conjugada. “As vacinas combinadas possuem vários benefícios, entre eles o fato de reunir, em apenas uma injeção12, vários componentes imunobiológicos. Além disso, os pais ou responsáveis precisarão ir menos aos postos de vacinação, o que poderá resultar em uma maior cobertura vacinal”, observa o ministro Alexandre Padilha.

A vacina1 heptavalente será desenvolvida em parceria com laboratórios Fiocruz/Bio-manguinhos, Instituto Butantan e Fundação Ezequiel Dias. A tecnologia envolvida é resultado de um acordo de transferência entre o Ministério da Saúde5, por meio da Fiocruz, e o laboratório Sanofi.

Fonte: Ministério da Saúde5

Veja o conteúdo completo da notícia em: Saúde5 oferece duas novas vacinas para crianças

NEWS.MED.BR, 2012. Duas novas vacinas serão oferecidas no calendário de vacinação infantil pelo Ministério da Saúde a partir de 2012. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/256015/duas-novas-vacinas-serao-oferecidas-no-calendario-de-vacinacao-infantil-pelo-ministerio-da-saude-a-partir-de-2012.htm>. Acesso em: 31 mar. 2020.

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Poliomielite: Doença viral que afeta as raízes anteriores dos nervos motores, produzindo paralisia especialmente em crianças pequenas e adolescentes. Sua incidência tem diminuído muito graças ao descobrimento de uma vacina altamente eficaz (Sabin), e de seu uso difundido no mundo inteiro.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Imunização: Processo mediante o qual se adquire, de forma natural ou artificial, a capacidade de defender-se perante uma determinada agressão bacteriana, viral ou parasitária. O exemplo mais comum de imunização é a vacinação contra diversas doenças (sarampo, coqueluche, gripe, etc.).
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Difteria: Doença infecto-contagiosa que afeta as vias respiratórias superiores, caracterizada pela produção de uma falsa membrana na garganta como resultado da ação de uma toxina bacteriana. Este microorganismo é denominado Corinebacterium difteriae, e é capaz de produzir doença neurológica e cardíaca também.Atualmente, está disponível uma vacina eficiente (a tríplice ou DPT) para esta doença, que tem tornado-se rara.
7 Tétano: Toxinfecção produzida por uma bactéria chamada Clostridium tetani. Esta, ao infectar uma ferida cutânea, produz uma toxina (tetanospasmina) altamente nociva para o sistema nervoso que produz espasmos e paralisia dos nervos afetados. Pode ser fatal. Existe vacina contra o tétano (antitetânica) que deve ser tomada sempre que acontecer um traumatismo em que se suspeita da contaminação por esta bactéria. Se a contaminação for confirmada, ou se a pessoa nunca recebeu uma dose da vacina anteriormente, pode ser necessário administrar anticorpos exógenos (de soro de cavalo) contra esta toxina.
8 Coqueluche: Infecção bacteriana das vias aéreas caracterizada por tosse repetitiva de som metálico. Pode também ser denominada tosse ferina, tosse convulsa ou tosse comprida, e é produzida por um microorganismo chamado Bordetella pertussis.
9 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
10 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
11 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
12 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

21/01/2012 - Complemento feito por MARCOS
Re: Duas novas vacinas serão oferecidas no calendário de vacinação infantil pelo Ministério da Saúde a partir de 2012
Uma das grandes conquistas científicas da humanidade, foi a pesquisa em vacinas, pois elas ao atigirem o organismo humano, conferem proteção efetiva contra agentes infecciosos.

Esta proteção se dá pelo fato do organismo ser exposto a uma partícula infecciosa INATIVADA, como é o caso da vacina citada no artigo, onde o organismo entra em contato com o vírus , que SEM CAUSAR A DOENÇA, ESTIMULA A PRODUÇÃO DE ANTICORPOS, que irão conferir proteção ao organismo num eventual contato com o agente patógeno, podendo assim combater a infecção de forma rápida e eficiente.

É o próprio organismo quem fabrica anticorpos , devido ao estímulo dado pela partícula inativada, uma grande conquista das CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, no combate as doenças infecto contagiosas e é sempre bem vindo a introdução de novas vacinas no calendário brasileiro,país bem imunizado, é país mais saudável!!!!!

  • Entrar
  • Assinar