Gostou do artigo? Compartilhe!

Um quarto das adolescentes norte-americanas estão infectadas por pelo menos uma doença sexualmente transmissível

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Mais de uma em cada quatro adolescentes do sexo feminino (26%) estão infectadas por pelo menos uma doença sexualmente transmissível. Este índice é ainda maior entre as adolescentes negras (48%), de acordo com estudo apresentado na conferência anual sobre prevenção das doenças sexualmente transmissíveis do CDC (Centers for Disease Control and Prevention) de 2008, em Chicago.


A estimativa é que 3,2 milhões de adolescentes dos Estados Unidos com idade entre 14 e 19 anos – cerca de 26% das adolescentes que pertencem a esta faixa etária – têm pelo menos uma doença sexualmente transmissível, tal como infecção1 por HPV - papilomavírus humano, infecção1 por chlamydia, herpes genital ou tricomoníase. Quarenta e oito por cento das adolescentes negras estão infectadas, comparado a 20% das adolescentes brancas. O CDC considera esta informação alarmante, pois isso mostra que as adolescentes estão expostas a doenças que trazem conseqüências sérias ao organismo se não tratadas, como infertilidade2 e câncer3 de colo4 de útero5.


O mais preocupante é que para cada ato sexual sem proteção, uma pessoa não infectada corre um risco muito grande de ter contato com uma doença sexualmente transmissível e se infectar. O CDC acredita que esta estatística ainda seja maior, pois este estudo não levou em consideração doenças como sífilis6, gonorréia7 e infecção1 por HIV8.


Os resultados também mostram que, das adolescentes infectadas, 15% apresenta mais de uma doença. A mais comum foi a infecção1 por HPV (18% das adolescentes), que pode causar verrugas genitais e câncer3 de colo4 de útero5; seguida pela infecção1 por chlamydia (4% das adolescentes) – uma bactéria9 que pode causar doença inflamatória pélvica10 e aumentar o risco de infertilidade2.


O CDC recomenda vacinação completa contra HPV para as adolescentes com idades entre 11 e 26 anos, e rastreamento anual para chlamydia nas mulheres com menos de 25 anos e com vida sexual ativa.


A tricomoníase, causada por um parasita11, foi encontrada em 3% das adolescentes, enquanto cerca de 2% das adolescentes estavam infectadas por herpes simples tipo 2.


Fonte: Centers for Disease Control and Prevention - 2008 National STD Prevention Conference

NEWS.MED.BR, 2008. Um quarto das adolescentes norte-americanas estão infectadas por pelo menos uma doença sexualmente transmissível. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/14700/um-quarto-das-adolescentes-norte-americanas-estao-infectadas-por-pelo-menos-uma-doenca-sexualmente-transmissivel.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
3 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
4 Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMÓIDE.
5 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
6 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
7 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
8 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
9 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
10 Doença inflamatória pélvica: Infecção aguda que compromete o trato genital feminino (ovários, trompas de Falópio, útero). Manifesta-se por dor, febre e descarga purulenta pela vagina.
11 Parasita: Organismo uni ou multicelular que vive às custas de outro, denominado hospedeiro. A presença de parasitos em um hospedeiro pode produzir diferentes doenças dependendo do tipo de afecção produzida, do estado geral de saúde do hospedeiro, de mecanismos imunológicos envolvidos, etc. São exemplos de parasitas: a sarna, os piolhos, os áscaris (lombrigas), as tênias (solitárias), etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!