Gostou do artigo? Compartilhe!

Excesso de sal na dieta: pesquisa mostra que brasileiros consomem quase o dobro dos valores recomendados

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma nova pesquisa brasileira, coordenada pela Fiocruz, constatou que o consumo médio de sal do brasileiro é de 9,34 gramas por dia. O valor é quase o dobro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde1, que sugere não mais que 5 gramas diárias de sal.

A Pesquisa Nacional de Saúde1 (PNS) foi realizada em 2013 e 2014, com visita a 69.954 domicílios e entrevista com 60.202 adultos. Desse total, foi selecionada uma subamostra para coleta de material biológico nos domicílios, sendo feita a análise de sangue2 e urina3 de cerca de 9 mil brasileiros, visando a traçar o perfil bioquímico de condições clínicas e pré-clínicas da população brasileira.

Como os valores de referência de exames podem ser influenciados por fatores populacionais e ecológicos, eles podem divergir entre diferentes populações. Dessa forma, se torna importante o conhecimento de parâmetros nacionais de referência para estabelecer critérios de diagnóstico4, tratamento e controle de doenças.

A pesquisa também apresentou resultados a respeito de diabetes5, doença renal6 e anemias, além dos dados sobre consumo de sal.

Leia sobre "Estratégias para reduzir o sal na dieta", "Diabetes5" e "Insuficiência renal7".

Sal na dieta

A pesquisa aponta que quase três quartos dos brasileiros têm alto consumo de sal (mais de 8g por dia), sendo a maioria homens e pessoas mais jovens. Porém, percebeu-se que há um consumo elevado de forma generalizada, que atinge todas as faixas etárias e níveis de escolaridade. Essa informação tem grande importância pois indica a necessidade de desenvolver programas de redução de consumo para todas as subcategorias, e não apenas os grupos mais visados, como hipertensos e doentes renais.

Outro dado alarmante é que apenas 14,2% dos adultos se referiram ao seu consumo como alto, indicando a percepção baixa do consumo real que fazem, e consequente baixa preocupação com condições como hipertensão8 e doenças cardiovasculares9, que estão associadas ao excesso de sal.

Atualmente, 28% dos adultos brasileiros são hipertensos, condição responsável direta ou indiretamente por várias doenças crônicas, como as cardiovasculares e renais. Reduzir o sal na dieta é uma das intervenções com melhor custo-efetividade para reduzir as doenças crônicas não transmissíveis e assim diminuir o número de mortes prematuras, aumentando a expectativa de vida10 saudável dos brasileiros.

O estudo ainda mostrou que o consumo inferior a 5g por dia, que é a faixa ideal, ocorreu em apenas 2,39% da amostra, com prevalência11 entre mulheres e pessoas mais velhas. O consumo muito elevado, de mais de 12g de sal por dia, foi observada com maior frequência em homens (15,7%) do que em mulheres (10,8%), e em baixa proporção no grupo com escolaridade mais alta (11,35%).

Diabetes5 e doença renal6

A pesquisa identificou o diabetes5 em 6,6% dos adultos, enquanto em 76,5% das pessoas não houve qualquer alteração. Porém, ao considerar critérios simultâneos, como as pessoas que já possuem diagnóstico4 de diabetes5 e/ou utilizam medicamentos, a prevalência11 de diabetes5 é de 8,4%. Na população obesa a prevalência11 de diabetes5 chega a 17%.

Quanto às doenças renais, os resultados apresentaram um número estimado de casos até quatro vezes maior em comparação com dados de pesquisas anteriores no país. Isso se deve ao fato de estudo anteriores terem se baseado geralmente em relatos dos próprios doentes, enquanto a nova pesquisa avaliou a função renal6 por meio de critérios laboratoriais. Isso sugere que há sub diagnóstico4 da doença renal6 no Brasil.

Veja também sobre "Dieta para hipertensos", "Hipertensão arterial12", "Doenças cardiovasculares9" e "Nefropatia13 diabética".

 

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias, publicação em 26 de novembro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Excesso de sal na dieta: pesquisa mostra que brasileiros consomem quase o dobro dos valores recomendados. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1353048/excesso-de-sal-na-dieta-pesquisa-mostra-que-brasileiros-consomem-quase-o-dobro-dos-valores-recomendados.htm>. Acesso em: 7 dez. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
7 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
8 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
10 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
11 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
12 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
13 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
Gostou do artigo? Compartilhe!