Gostou do artigo? Compartilhe!

The Lancet: revisão publica efeitos do diabetes tipo 1 no cérebro em desenvolvimento

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Sob a orientação do professor Fergus Cameron, do Murdoch Children's Research Institute, na Austrália, foi realizado um artigo de revisão publicado online pelo periódico The Lancet Child & adolescente Health sobre o efeito do diabetes1 tipo 1 no cérebro2 em desenvolvimento.

Uma variedade de insultos potencialmente disglicêmicos para o cérebro2 pode causar danos celulares e estruturais e levar a resultados neuropsicológicos alterados. Esses resultados podem ser sutis em termos de cognição3, mas parecem persistir na vida adulta. Idade e circunstância no diagnóstico4 de diabetes tipo 15 parecem desempenhar um papel substancial na lesão6 potencial do SNC7. Uma história de cetoacidose diabética8 e hiperglicemia9 crônica parece ser mais prejudicial do que se suspeitava anteriormente, enquanto uma história de hipoglicemia10 grave seja talvez menos prejudicial.

Os déficits neurocognitivos se manifestam em vários domínios cognitivos11, incluindo a função executiva12 e a velocidade do processamento de informações. Algumas evidências sugerem que a lesão6 cerebral sutil pode contribuir diretamente para os resultados psicológicos e de saúde13 mental futuros.

A função executiva12 prejudicada e a saúde13 mental, por sua vez, podem afetar a adesão dos pacientes ao tratamento e à capacidade de fazer escolhas adaptativas no estilo de vida. O funcionamento executivo prejudicado cria uma alça potencial de feedback da disglicemia diabética, levando à lesão6 cerebral, comprometendo ainda mais a função executiva12 e a saúde13 mental, o que resulta em uma adesão abaixo do ideal ao tratamento e mais disglicemia.

Os médicos que lidam com pacientes com resultados glicêmicos subótimos devem estar cientes desses problemas potenciais.

Leia mais sobre "Cetoacidose diabética8", "Hipoglicemia10" e "O papel da insulina14 no corpo".

 

Fonte: The Lancet Child & Adolescent Health, em 12 de abril de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. The Lancet: revisão publica efeitos do diabetes tipo 1 no cérebro em desenvolvimento. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1336958/the-lancet-revisao-publica-efeitos-do-diabetes-tipo-1-no-cerebro-em-desenvolvimento.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
3 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
4 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
5 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
6 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
7 SNC: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
8 Cetoacidose diabética: Complicação aguda comum do diabetes melito, é caracterizada pela tríade de hiperglicemia, cetose e acidose. Laboratorialmente se caracteriza por pH arterial 250 mg/dl, com moderado grau de cetonemia e cetonúria. Esta condição pode ser precipitada principalmente por infecções, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, trauma e tratamento inadequado do diabetes. Os sinais clínicos da cetoacidose são náuseas, vômitos, dor epigástrica (no estômago), hálito cetônico e respiração rápida. O não-tratamento desta condição pode levar ao coma e à morte.
9 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
10 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
11 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
12 Função executiva: Também conhecida como controle cognitivo ou sistema supervisor atencional é um conceito neuropsicológico que se aplica ao processo cognitivo responsável pelo planejamento e execução de atividades, que podem incluir, por exemplo, a iniciação de tarefas, memória de trabalho, atenção sustentada e inibição de impulsos.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
Gostou do artigo? Compartilhe!