Gostou do artigo? Compartilhe!

Fãs de café da manhã ganham menos peso ao longo do tempo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo envolvendo cerca de 350 adultos saudáveis diz que aqueles que geralmente tomam café da manhã têm cinturas mais finas e são menos propensos a serem obesos, em comparação com pessoas que geralmente pulam o café da manhã. E ao longo dos doze anos seguintes, eles ganharam apenas um terço da quantidade de peso que ganharam aqueles que gostam de pular esta refeição.

As descobertas não provam que as refeições da manhã, por si só, impedem o ganho de peso, disseram os pesquisadores, mas acrescentam evidências de que as pessoas que tomam o café da manhã tendem a pesar menos, segundo Connie Diekman, nutróloga que dirige a nutrição1 universitária na Universidade de Washington em St. Louis.

Leia sobre "Como medir sua cintura" e "Cálculo2 do IMC3".

As razões exatas ainda não estão claras, de acordo com Diekman, que não esteve envolvida no estudo. Mas, com base em pesquisas anteriores, os fãs do café da manhã normalmente comem mais grãos integrais, vegetais e frutas ao longo do dia, em comparação às pessoas que pulam a refeição da manhã. "Portanto," disse Diekman, "suas escolhas alimentares gerais fornecem mais nutrição1 e podem ser uma grande parte do motivo pelo qual elas têm um peso mais saudável".

A pesquisadora sênior4 do estudo, Naima Covassin, disse que os consumidores de café da manhã podem diferir de várias maneiras. Além de fazer escolhas alimentares mais saudáveis, eles podem se exercitar mais ou beber menos álcool. Ainda assim, há evidências de que o momento das refeições - não apenas seu conteúdo - é importante, segundo Covassin, pesquisadora da Mayo Clinic, em Rochester, Minnesota. Por exemplo, ela disse, as pessoas que pulam o café da manhã são mais propensas a comer demais no final do dia - um padrão que tem sido associado a ganho de peso mais acentuado.

Para Diekman, não está claro se os consumidores de café da manhã acabam ingerindo menos calorias5 durante todo o dia. Ela disse que alguns estudos sugerem que isso é verdade - possivelmente porque os consumidores de café da manhã "respondem aos sinais6 de fome de maneira mais oportuna". Mas alguns outros estudos não encontraram essa conexão.

O novo estudo foi agendado para apresentação no domingo no encontro anual de Biologia Experimental, em San Diego. É válido lembrar que pesquisas apresentadas em reuniões são consideradas preliminares até serem publicadas em um periódico revisado.

As descobertas são baseadas em 347 adultos saudáveis - 100 dos quais disseram que ou nunca tomaram café da manhã ou o fizeram de maneira pouco frequente (uma a quatro vezes por semana). O resto tomava café cinco a sete dias da semana.

Aqueles consumidores regulares de café da manhã eram menos propensos a ser obesos no início: 11% eram obesos contra 27% dos que tomavam café da manhã de maneira pouco frequente. Os consumidores de café da manhã também geralmente ganharam menos peso ao longo do período de estudo de 12 anos. As pessoas que disseram que nunca tomam café da manhã ganharam tipicamente 3,6 kg, enquanto aquelas que comiam o café da manhã de modo infrequente ganharam 2 quilos. Enquanto isso, as pessoas que geralmente tomavam café da manhã ganhavam pouco menos de 1,2 quilos, em média, mostraram os resultados.

A ligação entre o café da manhã e o ganho de peso permaneceu mesmo depois que os pesquisadores contabilizaram a idade, o sexo e o índice de massa corporal7 das pessoas no início do estudo. O índice de massa corporal7 é uma medida baseada no peso e na altura.

Ainda assim, as descobertas não provam que o café da manhã é "mágico" contra o ganho de peso, nem abordam a questão de saber se as pessoas podem ou não perder peso se tornando consumidoras frequentes de café da manhã, disse Covassin. Mas se você adicionar café da manhã à sua rotina diária, é importante ter certeza que você não está simplesmente adicionando calorias5. O ponto, explicou ela, é "redistribuir" suas calorias5 diárias de uma maneira mais equilibrada e tentar olhar para as "lacunas de nutrientes" em sua dieta - e então adicionar alimentos para o café da manhã que ajudem a preencher essas lacunas. É preciso considerar quantos alimentos nutricionalmente vazios são consumidos durante o dia - e depois cortá-los.

Veja também sobre "Obesidade8", "Alimentação saudável", "Suplementos vitamínicos e minerais" e "Chocolate amargo e amêndoas podem proteger pessoas com excesso de peso e obesas das doenças coronarianas".

 

Fonte: Drugs.com, em 23 de abril de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. Fãs de café da manhã ganham menos peso ao longo do tempo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1317643/fas-de-cafe-da-manha-ganham-menos-peso-ao-longo-do-tempo.htm>. Acesso em: 18 out. 2019.

Complementos

1 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
2 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
3 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
4 Sênior: 1. Que é o mais velho. 2. Diz-se de desportistas que já ganharam primeiros prêmios: um piloto sênior. 3. Diz-se de profissionais experientes que já exercem, há algum tempo, determinada atividade.
5 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
Gostou do artigo? Compartilhe!