Gostou do artigo? Compartilhe!

Truvada, medicamento para profilaxia pré-exposição ao HIV, será incorporado no SUS

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Ministério da Saúde1 vai ofertar no Sistema Único de Saúde1 (SUS) o antirretroviral Truvada para reduzir o risco da infecção2 pelo HIV3 antes da exposição ao vírus4. A Profilaxia Pré-Exposição5 (PrEP) passará a ser distribuída no SUS em até 180 dias após a publicação do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT).

Veja mais sobre "Infecção2 pelo HIV3", "AIDS" e "Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)".

A incorporação do Truvada (tenofovir associado à entricitabina) foi recomendada pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) e anunciada pelo ministro da Saúde1, Ricardo Barros, na Assembleia Mundial de Saúde1, em Genebra (Suíça). Com a nova medida, o Brasil se torna o primeiro país da América Latina a utilizar essa estratégia de prevenção como política de saúde1 pública.

A Organização Mundial de Saúde1 (OMS) recomenda, desde 2012, a oferta de PrEP para casais soro6 diferentes, gays, homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas transgêneros (travestis e transexuais), consideradas populações-chave7. A PrEP já é utilizada em outros países, tanto na rede privada quanto no sistema público de saúde1.

No Brasil, para receber a PrEP será necessária uma avaliação da vulnerabilidade do paciente, de acordo com comportamento sexual e outros contextos de vida. Essa análise deverá ser feita por profissionais de saúde1, com base em "uma série de critérios, como o número de parceiros sexuais, os outros métodos de prevenção utilizados, o compromisso com a adesão ao medicamento, entre outros”, destacou a diretora do Departamento de IST, AIDS e Hepatites8 Virais do Ministério da Saúde1, Adele Benzaken.

A PrEP é de uso contínuo, ou seja, o usuário precisa tomar o comprimido diariamente para ficar protegido do HIV3, sendo que a proteção se inicia a partir do 7º dia para exposição por relação anal e a partir do 20º dia para exposição por relação vaginal. É importante destacar que a PrEP só será indicada após testagem do paciente para HIV3, uma vez que ela é contraindicada para pessoas já infectadas pelo vírus4, já que pode causar resistência ao tratamento. Por essa razão, as pessoas que já vivem com o vírus4 não serão submetidas à profilaxia, e sim encaminhadas para tratamento imediato.

A prevenção será ofertada nos serviços do SUS que já trabalham com prevenção do HIV3. Inicialmente, será implementada em 12 cidades e, ao longo do ano, será estendida para todo o país. São elas: Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife, Manaus, Brasília, Florianópolis, Salvador e Ribeirão Preto.

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde1, 827 mil pessoas vivem com HIV3/AIDS no país atualmente. Desse total, 372 ainda não estão em tratamento, sendo que 260 já sabem que estão infectadas e 112 mil pessoas não sabem que têm o vírus4.

Leia a reportagem completa em: "Medicamento como prevenção para HIV3 será incorporado no SUS".

 

Fonte: Portal da Saúde1 SUS - Ministério da Saúde1

 

NEWS.MED.BR, 2017. Truvada, medicamento para profilaxia pré-exposição ao HIV, será incorporado no SUS. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1297913/truvada-medicamento-para-profilaxia-pre-exposicao-ao-hiv-sera-incorporado-no-sus.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
4 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
5 Profilaxia pré-exposição: É uma maneira de as pessoas que não têm o HIV, mas que estão em risco de adquiri-lo, evitarem de contrair o HIV tomando um único comprimido (geralmente uma combinação de dois antirretrovirais) todos os dias. Esta preparação, quando feita de forma consistente, tem demonstrado reduzir o risco de infecção por HIV em indivíduos que estão em risco elevado, mais alto que 92%. Esta forma de prevenção é muito menos eficaz se não for tomada de forma consistente.
6 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
7 Populações-chave: Grupos definidos que, devido a comportamentos de alto risco específicos, estão em maior risco para o HIV, independentemente do tipo ou da epidemia no contexto local. Além disso, eles muitas vezes têm problemas jurídicos e sociais relacionados aos seus comportamentos que aumentam sua vulnerabilidade ao HIV.
8 Hepatites: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!