Gostou do artigo? Compartilhe!

Publicada série de artigos sobre doença mental na revista The Lancet: elas são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A série The Lancet Global Mental Health Series, desenvolvida por um grupo internacional de especialistas em saúde1 mental e em saúde1 pública com base em literatura científica e em dados da Organização Mundial de Saúde1, foi publicada na revista médica The Lancet desta semana. São seis artigos que indicam a necessidade de definir estratégias para reduzir o impacto e a incidência2 das doenças mentais na população mundial.

 

As doenças mentais são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo. A depressão é a que origina o maior índice de incapacidade crônica com graves conseqüências na saúde1 física e na incapacidade social dos indivíduos.

 

Dados da Organização Mundial de Saúde1 revelam que as doenças neuropsiquiátricas estão na origem de 1,2 milhões de mortes anuais e 1,4% de anos de vida perdidos, principalmente devido à demência3, doença de Parkinson4 e epilepsia5.

 

Cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio ao ano, 86% dos quais nos países com baixos rendimentos e rendimentos médios. Mais de 50% dessas pessoas têm entre 15 e 44 anos de idade.

 

Os países mais pobres são os mais afetados e também os que menos investem no tratamento destas condições - cerca de um terço não possuem orçamento público dedicado às doenças mentais.

 

Cerca de 30% da população mundial irá sofrer de algum tipo de disfunção mental e pelo menos dois terços dessas pessoas vão receber tratamento inadequado ou nenhum tratamento, mesmo nos países com melhores recursos.

 

Fonte: The Lancet

NEWS.MED.BR, 2007. Publicada série de artigos sobre doença mental na revista The Lancet: elas são responsáveis por 14% do total de todas as doenças registradas no mundo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/11705/publicada-serie-de-artigos-sobre-doenca-mental-na-revista-the-lancet-elas-sao-responsaveis-por-14-do-total-de-todas-as-doencas-registradas-no-mundo.htm>. Acesso em: 27 mai. 2020.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
5 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
Gostou do artigo? Compartilhe!