Atalho: 5RCA00N
Gostou do artigo? Compartilhe!

AMB e CFM lançam relatório sobre a abertura de escolas médicas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A Associação Médica Brasileira e o Conselho Federal de Medicina estão lançando a segunda edição, revista e atualizada, do trabalho "Abertura de Escolas de Medicina no Brasil: Relatório de um Cenário Sombrio". Desde 2000, o Ministério da Educação autorizou o funcionamento de 50 novos cursos, totalizando 146 escolas médicas no País e 26 apenas no Estado de São Paulo.

"O ritmo de crescimento é tão intenso que os últimos seis cursos foram autorizados entre a finalização do estudo e sua impressão", surpreende-se o 2º vice-presidente da AMB, Ronaldo da Rocha Loures Bueno, que assina este trabalho em parceria com a socióloga e historiadora Maria Cristina Pieruccini.

Embora a Organização Mundial da Saúde1 preconize como parâmetro ideal de assistência à saúde1 da população a relação de um médico para cada mil habitantes, no Brasil a média é de 1/622, com picos no Rio de Janeiro (1/302) e no Distrito Federal (1/309), sendo que a maioria esmagadora atua nas capitais.

Estes e outros dados sobre o excesso e a concentração de profissionais, a distribuição cronológica e geográfica das escolas médicas, além da legislação e dos mecanismos de avaliação estão detalhados no trabalho, cuja primeira edição havia sido lançada em janeiro de 2004.
Preocupada com a relação entre a expansão dos cursos de medicina e a queda da qualidade da formação acadêmica e dos honorários da classe, a AMB havia promovido, em 2002, fóruns regionais denominados "Novas Escolas de Medicina: Necessidade ou Oportunismo?", em Curitiba, Belo Horizonte, Belém, Brasília e Salvador. O objetivo era definir estratégias político-institucionais e um discurso nacional contra a abertura indiscriminada de cursos de graduação em medicina.

Em suas considerações finais, o estudo traz reflexões sobre o desequilíbrio entre demanda e oferta de médicos e má distribuição; a necessidade de formulação e implantação de uma política nacional regulatória do acesso e da formação de recursos humanos na área da saúde1; a política de recursos humanos para prover o Sistema Único de Saúde1 e o Programa Saúde1 da Família usada como justificativa para a criação de novos cursos; e os efeitos da superpopulação de médicos para a defesa profissional, entre outros temas.

O trabalho "Abertura de Escolas de Medicina no Brasil: Relatório de um Cenário Sombrio" está sendo distribuído às Federadas e Sociedades de Especialidade da AMB, aos Conselhos Regionais de Medicina, à imprensa e às demais entidades médicas.

Fonte: AMB

NEWS.MED.BR, 2005. AMB e CFM lançam relatório sobre a abertura de escolas médicas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1031/amb-e-cfm-lancam-relatorio-sobre-a-abertura-de-escolas-medicas.htm>. Acesso em: 16 set. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!