Gostou do artigo? Compartilhe!

FDA aconselha restringir o uso de fluoroquinolonas para infecções não complicadas e adverte sobre efeitos secundários incapacitantes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em um anúncio de segurança, a Food and Drug Administration (FDA), nos EUA, alertou para possíveis efeitos secundários graves associados a medicações antibacterianas com fluoroquinolonas. Estes danos podem superar os benefícios para pacientes1 com sinusite2, bronquite e infecções3 do trato urinário4 não complicadas que têm outras opções de tratamento. Pacientes nestas condições, só devem usar fluoroquinolonas quando não têm opções alternativas de tratamento.

Uma revisão de segurança da FDA tem mostrado que as fluoroquinolonas, quando utilizadas sistemicamente (comprimidos, cápsulas e injetáveis) estão associadas a efeitos secundários potencialmente graves, incapacitantes e permanentes que podem ocorrer conjuntamente. Estes efeitos secundários podem envolver tendões5, músculos6, articulações7, nervos e sistema nervoso central8.

Como resultado, a FDA está exigindo a atualização das bulas desses medicamentos para incluírem as novas informações de segurança. O órgão continua investigando as questões de segurança relacionadas às fluoroquinolonas e irá atualizar o público com informações adicionais, assim que elas estiverem disponíveis.

Pacientes em uso deste tipo de medicação devem entrar em contato com seus médicos imediatamente se sentirem quaisquer efeitos secundários graves. Alguns sinais9 e sintomas10 de efeitos secundários graves incluem dor, pontadas, formigamento ou sensação de picadas em tendões5, articulações7 e músculos6, confusão mental ou alucinações11. Os pacientes devem conversar com o profissional de saúde12 em caso de quaisquer dúvidas ou preocupações.

Os profissionais de saúde12 devem interromper o tratamento com fluoroquinolona sistêmica imediatamente se o paciente relatar efeitos colaterais13 graves e mudar para outra medicação antibacteriana não-fluoroquinolona para completar o curso do tratamento.

 

Fonte: FDA - Drug Safety and Availability, em 12 de maio de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. FDA aconselha restringir o uso de fluoroquinolonas para infecções não complicadas e adverte sobre efeitos secundários incapacitantes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/951084/fda-aconselha-restringir-o-uso-de-fluoroquinolonas-para-infeccoes-nao-complicadas-e-adverte-sobre-efeitos-secundarios-incapacitantes.htm>. Acesso em: 18 set. 2019.

Complementos

1 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
2 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Trato Urinário:
5 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
6 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
7 Articulações:
8 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!