Gostou do artigo? Compartilhe!

Novo medicamento para tratar psoríase em placas é aprovado pela FDA

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Cosentyx (secukinumabe) foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, para o tratamento de adultos com psoríase1 em placas2 moderada a grave.

A psoríase1 é uma doença auto-imune3, crônica e não contagiosa4. A psoríase1 em placas2 é uma forma comum da doença e apresenta placas2 secas, avermelhadas com escamas prateadas ou esbranquiçadas. Essas placas2 coçam e algumas vezes doem, podendo atingir todas as partes do corpo, inclusive as regiões genitais e a mucosa5 da boca6. Em casos graves, a pele7 em torno das articulações8 pode rachar e sangrar.

A substância ativa do Cosentyx é o secukinumabe. Secukinumabe é um anticorpo9 que se liga a uma proteína que está envolvida na inflamação10, a interleucina 17 A (IL-17A). Ao ligar-se à IL-17A, o secukinumabe a impede de se ligar ao seu receptor e inibe a sua capacidade para desencadear resposta inflamatória, que desempenha um papel importante no desenvolvimento das placas2 de psoríase1.

O Cosentyx é administrado por uma injeção11 sob a pele7. Ele é destinado a pacientes que são candidatos à terapia sistêmica (tratamento com substâncias que agem através da corrente sanguínea depois de serem tomadas por via oral ou injetável), fototerapia (tratamento com luz ultravioleta) ou uma combinação de ambos.

A segurança e eficácia do Cosentyx foram estabelecidas em quatro ensaios clínicos12 com um total de 2.403 participantes com psoríase1 em placas2 que eram candidatos à fototerapia ou à terapia sistêmica. Os participantes foram aleatoriamente designados para receber Cosentyx ou placebo13. Cosentyx mostrou maior resposta clínica do que o placebo13, deixando a pele7 limpa ou quase clara, como avaliado pela pontuação da dimensão, natureza e gravidade das alterações psoriáticas da pele7.

Cosentyx está sendo aprovado com um alerta para informar aos pacientes que, por ser um medicamento que afeta o sistema imunológico14, os pacientes podem apresentar maior risco de contrair uma infecção15. Reações alérgicas graves foram relatadas com o uso de Cosentyx. Devem ser tomadas precauções quando se considera o uso desta nova medicação em pacientes com infecção15 crônica ou história de infecção15 recorrente e em pacientes com doença de Crohn16 ativa. Os efeitos colaterais17 mais comuns incluem diarreia18 e infecções19 respiratórias superiores.

Cosentyx é comercializado pela Novartis Pharmaceuticals Corporation, em East Hanover, New Jersey.

Fonte: FDA News Release, de 21 de janeiro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Novo medicamento para tratar psoríase em placas é aprovado pela FDA. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/740562/novo-medicamento-para-tratar-psoriase-em-placas-e-aprovado-pela-fda.htm>. Acesso em: 11 nov. 2019.

Complementos

1 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
2 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
3 Doença auto-imune: Desordem do sistema imune em que ele próprio ataca e destrói tecidos que acredita serem estranhos ao corpo.
4 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
5 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
6 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
7 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
8 Articulações:
9 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
12 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
13 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
14 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
15 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
17 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
18 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
19 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!