Atalho: 5G87DX2
Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: ácido valproico está associado a defeitos congênitos em grávidas que usam a medicação no primeiro trimestre da gestação

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O uso de ácido valproico no primeiro trimestre da gravidez1 está associado ao aumento do risco de defeitos congênitos2 como espinha bífida3, mas dados sobre outras malformações4 congênitas5 ainda são limitados, segundo artigo publicado pelo The New England Journal of Medicine.

Dados de oito estudos de coorte6 publicados foram combinados (1.565 grávidas expostas ao ácido valproico, dentre as quais foram observadas 118 malformações4 maiores na prole) e identificou-se 14 malformações4 significativamente mais comuns entre os nascidos de mães expostas ao ácido valproico durante o primeiro trimestre da gravidez1. Foram avaliadas as associações entre o uso de ácido valproico durante o primeiro trimestre e estas 14 malformações4 em um estudo caso controle com dados de registros populacionais de anomalias congênitas5 do European Surveillance of Congenital Anomalies (EUROCAT). Os registros com qualquer uma das 14 malformações4 foram comparados com dois grupos controle, um consistindo de bebês7 com malformações4 não previamente ligadas ao uso de ácido valproico (grupo controle 1) e outro com bebês7 com anormalidades cromossômicas (grupo controle 2). Os dados incluíram 98.075 nascidos vivos, natimortos ou terminados em malformações4 dentre 3,8 milhões de nascimentos em países europeus de 1995 a 2005.

A exposição à monoterapia com ácido valproico, quando comparada ao não uso de medicações anti-epilépticas, está associada ao aumento significativo de seis malformações4 das 14 estudadas. São elas: espinha bífida3, defeitos do septo atrial, fenda palatina, hipospádia8, polidactilia e craniosinostose.

Resultados semelhantes foram observados com o uso de outras medicações anti-epilépticas, mas os dados ainda são limitados.

Fonte: NEJM

NEWS.MED.BR, 2010. NEJM: ácido valproico está associado a defeitos congênitos em grávidas que usam a medicação no primeiro trimestre da gestação. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/59999/nejm-acido-valproico-esta-associado-a-defeitos-congenitos-em-gravidas-que-usam-a-medicacao-no-primeiro-trimestre-da-gestacao.htm>. Acesso em: 10 jul. 2020.

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Defeitos congênitos: Problemas ou condições que estão presentes ao nascimento.
3 Espinha bífida: Também conhecida como mielomeningocele, a espinha bífida trata-se de um problema congênito. Ela é caracterizada pela má formação no tubo neural do feto, a qual ocorre nas três primeiras semanas de gravidez, quando a mulher ainda não sabe que está grávida. Esta malformação pode comprometer as funções de locomoção, controle urinário e intestinal, dentre outras.
4 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
5 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
6 Estudos de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
7 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Hipospádia: Deformação congênita das vias urinárias, na qual a abertura da uretra se encontra na face inferior ou ventral do pênis ou, na mulher, dentro da vagina.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

17/06/2010 - Complemento feito por Jonas
Re: NEJM: ácido valproico está associado a defeitos congênitos em grávidas que usam a medicação no primeiro trimestre da gestação
O Ácido valproico tem sido usado experimentalmente em pacientes portadores de AMI com muito sucesso.

  • Entrar
  • Assinar