Gostou do artigo? Compartilhe!

Metilfenidato: FDA alerta sobre risco raro de ereções duradouras e dolorosas em homens que fazem uso deste medicamento

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Comunicado da Food and Drug Administration (FDA), dos EUA, alerta sobre os produtos com metilfenidato, um tipo de estimulante usado para tratar o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), e que pode em casos raros causar ereções prolongadas e por vezes dolorosas conhecidas como priapismo1. A FDA continua a monitorar a segurança dos medicamentos após a sua aprovação, e, com base em uma revisão recente de produtos com metilfenidato, autorizou a atualização das bulas dos medicamentos para incluir informações sobre o risco raro, mas grave, de priapismo1. Pacientes que tomam metilfenidato e desenvolvem ereções que duram mais de quatro horas devem procurar tratamento médico imediato para evitar problemas penianos de longo prazo. Se não for tratado de imediato, o priapismo1 pode levar a danos permanentes no pênis2.

O priapismo1 pode ocorrer em homens de qualquer idade e acontece quando o sangue3 fica preso no pênis2, levando a uma ereção4 anormalmente longa e por vezes dolorosa. Homens mais jovens, especialmente aqueles que ainda não atingiram a puberdade, podem não reconhecer o problema ou podem ficar constrangidos a dizer para ninguém o que está ocorrendo. Todos os homens devem conhecer o priapismo1 e a importância de procurar tratamento médico imediato caso ele ocorra.

O metilfenidato está entre os medicamentos que podem ser usados para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Um dos distúrbios cerebrais mais comuns da infância, o TDAH pode continuar até a adolescência e a idade adulta e provocar sintomas5 como dificuldade para se manter focado e prestando atenção, dificuldade em controlar o próprio comportamento e hiperatividade. Medicamentos como o metilfenidato são usados para tratar pacientes com o transtorno, aumentando o foco, reduzindo a impulsividade e melhorando o funcionamento social em geral. Os pacientes só devem fazer uso desta medicação quando prescrita por seu médico e não devem suspender a medicação por conta própria.

Em uma revisão da FDA, a idade média dos pacientes que usam metilfenidato e que apresentaram priapismo1 foi de 12,5 anos (faixa de 8 a 33 anos). Os pacientes apresentaram priapismo1 principalmente:

  • Após um aumento da dose de metilfenidato.
  • Durante períodos curtos de tempo em que a droga foi temporariamente suspensa.
  • Quando houve um intervalo mais longo do que o normal entre as doses.
  • Após a interrupção da droga de forma permanente.

Dois pacientes necessitaram de intervenção cirúrgica, um precisou colocar um shunt6 e outro teve que fazer uma aspiração com agulha no corpo cavernoso do pênis2.

O risco de priapismo1 pode levar alguns profissionais de saúde7 a considerar uma transição de uso do metilfenidato para a atomoxetina, outra medicação usada para tratar o TDAH, no entanto, a atomoxetina também tem sido associada ao priapismo1 em crianças, adolescentes e adultos, sendo que o priapismo1 parece ser mais comum em doentes que tomam atomoxetina do que em pacientes que tomam metilfenidato. Os profissionais de saúde7 devem ser cautelosos ao considerar esta mudança.

Produtos com anfetaminas também são usados para tratar o TDAH, mas a FDA já recebeu relatos de priapismo1 em quatro pacientes que tomam produtos com anfetamina. No entanto, se os produtos com anfetamina causam o priapismo1 ainda é incerto, porque todos estes pacientes tinham usado outros medicamentos que podem causar priapismo1. Portanto, não podemos concluir que o uso de produtos com anfetamina pode resultar em priapismo1.

Fonte: FDA, de 17 de dezembro de 2013 

NEWS.MED.BR, 2013. Metilfenidato: FDA alerta sobre risco raro de ereções duradouras e dolorosas em homens que fazem uso deste medicamento. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/512644/metilfenidato-fda-alerta-sobre-risco-raro-de-erecoes-duradouras-e-dolorosas-em-homens-que-fazem-uso-deste-medicamento.htm>. Acesso em: 8 dez. 2019.

Complementos

1 Priapismo: Condição, associada ou não a um estímulo sexual, na qual o pênis ereto não retorna ao seu estado flácido habitual. Essa ereção é involuntária, duradora (cerca de 4 horas), geralmente dolorosa e potencialmente danosa, podendo levar à impotência sexual irreversível, constituindo-se numa emergência médica.
2 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Ereção: 1. Ato ou efeito de erigir ou erguer. 2. Inauguração, criação. 3. Levantamento ou endurecimento do pênis.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Shunt: 1. Em cirurgia, é o desvio de depósitos de líquido para uma estrutura que o absorva ou o excrete. O shunt é feito por meio da criação de uma fístula ou de um dispositivo mecânico. 2. Em patologia, é a passagem anormal de sangue de uma cavidade para outra. 3. Em eletricidade, é o condutor que liga dois pontos num circuito elétrico e forma um caminho paralelo ou alternativo através do qual parte da corrente pode passar.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!