Atalho: 6QZOV23
Gostou do artigo? Compartilhe!

Ibuprofeno pode levar a danos ao intestino quando usado por atletas, segundo publicação do Medicine & Science in Sports & Exercise

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os anti-inflamatórios, tais como o ibuprofeno, são comumente usados por atletas para evitar a dor induzida pelo exercício. Desta maneira, supostamente eles melhoram o desempenho físico. No entanto, estes medicamentos podem ter efeitos potencialmente perigosos para a mucosa1 do trato gastrointestinal (GI) durante a execução de um exercício físico extenuante.

O objetivo do presente estudo foi determinar o efeito da administração de ibuprofeno, antes do exercício, por via oral, na integridade da mucosa1 gastrointestinal e na função de barreira do intestino em indivíduos saudáveis.

O estudo, publicado pela revista Medicine & Science in Sports & Exercise, contou com a participação de um pequeno grupo de nove homens saudáveis e atletas que foram estudados em quatro ocasiões diferentes:

1-Recebendo 400 mg de ibuprofeno, por duas vezes, antes da prática de ciclismo.

2-Praticando ciclismo sem estarem recebendo o ibuprofeno.

3-Recebendo 400 mg de ibuprofeno, por duas vezes, estando em repouso.

4-Descansando sem ingestão de ibuprofeno.

Para avaliar os pequenos danos intestinais foram medidas as concentrações de ácidos graxos intestinais que se ligam a proteínas2 (da sigla em inglês, I-FABP), enquanto que, após a ingestão de multisugar, a excreção urinária foi medida por cromatografia líquida e por espectrometria para determinar a permeabilidade3 gastrointestinal.

Os resultados mostraram que tanto o consumo de ibuprofeno quanto a prática de ciclismo resultaram em aumento das concentrações de I-FABP, refletindo pequenos danos intestinais. As concentrações foram mais altas depois de pedalar tendo usado o ibuprofeno do que depois de pedalar não tendo usado a medicação, descansar tendo usado o ibuprofeno ou descansar sem ter usado o medicamento. Do mesmo modo, a permeabilidade3 do intestino delgado4 aumentou, especialmente depois do ciclismo após uso do ibuprofeno, o que reflete a perda da integridade da barreira intestinal. É interessante notar que a extensão da lesão5 intestinal e a disfunção da barreira foram significativamente correlacionadas.

Este é o primeiro estudo a mostrar que o ibuprofeno agrava a lesão5 intestinal induzida pelo exercício e leva à disfunção da barreira intestinal em indivíduos saudáveis. Os autores concluíram que o consumo de anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, por atletas não é inofensivo e deve ser desencorajado.

Fonte: Medicine & Science in Sports & Exercise, volume 44, de dezembro de 2012

NEWS.MED.BR, 2012. Ibuprofeno pode levar a danos ao intestino quando usado por atletas, segundo publicação do Medicine & Science in Sports & Exercise. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/329755/ibuprofeno-pode-levar-a-danos-ao-intestino-quando-usado-por-atletas-segundo-publicacao-do-medicine-amp-science-in-sports-amp-exercise.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
2 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
3 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
4 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
5 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!