Atalho: 6BJQE53
Gostou do artigo? Compartilhe!

Medicação antitumoral mostra resultados promissores para a doença de Alzheimer em experiência com cobaias, publicado pela Science

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A terapêutica1 com o bexaroteno, substância usada no tratamento de alguns tipos de linfomas, mostrou sucesso na redução das placas2 de substância beta amiloide em camundongos com doença de Alzheimer3. O estudo, desenvolvido na Faculdade de Medicina de Case Western, pode ser uma esperança para o tratamento futuro da doença.

O tratamento direcionado à enzima4 apolipoproteína E (ApoE) diminuiu rapidamente a proteína beta amiloide em ratos de laboratório. A doença de Alzheimer3 está associada a uma deficiência de depuração desta proteína no cérebro5, um processo normalmente facilitado pela ApoE. A expressão da ApoE é transcricionalmente induzida pela ação de receptores ativados por proliferadores de peroxissoma gama (PPARγ) e receptores hepáticos X (LXR) em coordenação com os receptores retinoides X (RXR).

A administração oral do agonista6 do RXR, o bexaroteno, para cobaias com propensão ao desenvolvimento da doença de Alzheimer3, resultou na depuração forçada de proteína beta amiloide solúvel e de maneira dependente da ApoE. A área da placa7 de substância beta amiloide foi reduzida em mais de 50% dentro de apenas 72 horas. Além disso, o bexaroteno estimulou a recuperação de déficits cognitivos8, sociais e olfativos e melhorou o desempenho do circuito neural.

Fonte: Science - publicação online, de 9 de fevereiro de 2012

NEWS.MED.BR, 2012. Medicação antitumoral mostra resultados promissores para a doença de Alzheimer em experiência com cobaias, publicado pela Science. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/260160/medicacao-antitumoral-mostra-resultados-promissores-para-a-doenca-de-alzheimer-em-experiencia-com-cobaias-publicado-pela-science.htm>. Acesso em: 30 mai. 2020.

Complementos

1 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
2 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
3 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
4 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Agonista: 1. Em farmacologia, agonista refere-se às ações ou aos estímulos provocados por uma resposta, referente ao aumento (ativação) ou diminuição (inibição) da atividade celular. Sendo uma droga receptiva. 2. Lutador. Na Grécia antiga, pessoa que se dedicava à ginástica para fortalecer o físico ou como preparação para o serviço militar.
7 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
8 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

10/02/2012 - Complemento feito por marcos
Re: Medicação antitumoral mostra resultados promissores para a doença de Alzheimer em experiência com cobaias, publicado pela Science
As doenças degenerativas do sistema nervoso central, que afetam a cognição, ainda carecem de tratamentos farmacológicos e qualquer evidência científica, apontando para um novo fármaco, é de extrema importância.

A população mundial como um todo e a brasileira em particular apresenta um envelhecimento, que traz consigo novos desafios para a qualidade de vida desta população que irá viver mais, mas com o desafio de viver bem, daí a urgente necessidade de protocolos de tratamento para as doenças que afetem a cognição.

Uma das formas de manter nossa cognição em um nível satisfatório é não abandonar atividades "intelectuais", como a leitura de livros, jornais de forma diária, atividades que usem a imaginação como pintura, escultura, música, etc, sabendo que estas atividades estimulam áreas cerebrais a manterem conexões com outras áreas, diminuindo assim uma possível perda de funções cognitivas, então podemos dizer que além das possibilidades farmacológicas, devemos tomar atitudes que auxiliem nossa mente a continuar raciocinando.

  • Entrar
  • Assinar