Gostou do artigo? Compartilhe!

Lançamento de medicamentos: clique e confira as novidades

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Sandoz lança o Faximin: nova opção de tratamento para osteoartrose1

A Sandoz, divisão de medicamentos livres de patente do grupo Novartis, lançou o Faximin (sulfato de glicosamina). Indicado para o tratamento da osteoartrose1, o medicamento atua como antiinflamatório e age na recuperação das cartilagens2 desgastadas pela degeneração3 das articulações4. Pode ser usado com posologia cômoda de uma dose ao dia. É comercializado em caixas com 15 sachês.

Cystistat para cistite5 intersticial6, da Sigma-Pharma

A divisão Hospitalar da Sigma-Pharma, empresa do Grupo EMS-SIGMA PHARMA, lançou o Cystistat, medicamento desenvolvido para o tratamento da Cistite5 Intersticial6 (CI), doença crônica da bexiga7 de origem desconhecida. Esta inflamação8 pode causar dores pélvicas9 e urgência10 para urinar.

O Cystistat foi desenvolvido para ajudar os pacientes com Cistite5 Interticial. Composto de uma fração da substância ativa de ácido hialurônico com um alto grau de pureza, o medicamento foi produzido por biotecnologia, que recompõe temporariamente a camada protetora de glicoaminoglicana deficiente, aliviando os sintomas11. Deve ser administrado somente por urologistas experientes.

O novo medicamento pode também ser utilizado na terapia da cistite5 pós-radiação (pacientes em tratamento radioterápico por câncer12) e na profilaxia das infecções13 urinárias de repetição com bons resultados.

ReVia, da Cristália, para tratar o alcoolismo

ReVia ou cloridrato de naltrexona é uma medicação antiga usada para bloquear o efeito das substâncias derivadas do ópio, como a morfina e a heroína. O uso do ReVia, após administração prolongada desses agentes opióides, provoca uma imediata reação de abstinência.

Atualmente está sendo usado para diminuir ou mesmo abolir o desejo pelo álcool em pacientes dependentes, pois reduz a ansiedade causada pela necessidade de consumo de álcool. Bloqueia os receptores da endorfina, agindo especificamente numa determinada região do cérebro14, responsável pelos sintomas11 prazerosos ou pela euforia decorrente da estimulação destes receptores quando da ingestão de álcool.

Nos Estados Unidos, a droga já é prescrita a estes pacientes há quatorze anos. No Brasil, o medicamento passou a ser fabricado pelo laboratório Cristália, que já o importava e comercializava, possibilitando um custo bem mais acessível.

Altas doses podem causar insuficiência hepática15 (situação já comum nos pacientes alcoólatras de longa data). Entre outros efeitos colaterais16 estão sonolência ou insônia, nervosismo, tonteiras, vômitos17 e diarréia18.

Lançado novo anti-hipertensivo Sandoz

A Sandoz lançou o Cardbloc (cloridrato de propranolol), medicamento indicado para o controle da pressão arterial19.

Nas apresentações de 40 mg e 80 mg, é uma opção segura e acessível aos pacientes. Cardbloc é o único anti-hipertensivo, nessas apresentações, com a reconhecida qualidade de uma multinacional.

Lucentis® (Novartis) recebe aprovação do FDA

O FDA (Food and Drug Administration) acaba de aprovar o medicamento Lucentis® (ranibizumabe) para o tratamento da DMRI - Degeneração Macular20 Relacionada à Idade, na forma úmida. Principal causa de cegueira em pessoas acima de 55 anos, a doença atinge mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo.

O Lucentis® (ranibizumabe) demonstrou em estudos clínicos que cerca de 95% dos pacientes tratados com o medicamento obtiveram a interrupção da progressão da doença e 40% dos que se submeteram a um ano de tratamento apresentaram melhoria da visão21. Lucentis® bloqueia a formação de vasos sangüíneos22 na região ocular, responsáveis pela perda da visão central23, e deve chegar ao mercado brasileiro no início de 2007.

Mylanta, na apresentação de bolso, da Pfizer

Já conhecido por seus efeitos contra a azia24, o Mylanta chega ao mercado em embalagem prática, que pode ser levada na bolsa ou no bolso. Em forma de tabletes, o medicamento alivia a queimação em pouco tempo. A ingestão de dois a quatro tabletes alivia rapidamente a dor. Após uma hora, se necessário, pode ser usado um novo tablete para alívio dos sintomas11.

NEWS.MED.BR, 2006. Lançamento de medicamentos: clique e confira as novidades. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1867/lancamento-de-medicamentos-clique-e-confira-as-novidades.htm>. Acesso em: 14 dez. 2019.

Complementos

1 Osteoartrose: Também chamada de artrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos (unidos) que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da osteoartrose.
2 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
3 Degeneração: 1. Ato ou efeito de degenerar (-se). 2. Perda ou alteração (no ser vivo) das qualidades de sua espécie; abastardamento. 3. Mudança para um estado pior; decaimento, declínio. 4. No sentido figurado, é o estado de depravação. 5. Degenerescência.
4 Articulações:
5 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
6 Intersticial: Relativo a ou situado em interstícios, que são pequenos espaços entre as partes de um todo ou entre duas coisas contíguas (por exemplo, entre moléculas, células, etc.). Na anatomia geral, diz-se de tecido de sustentação localizado nos interstícios de um órgão, especialmente de vasos sanguíneos e tecido conjuntivo.
7 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Pélvicas: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
10 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
13 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
14 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
15 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
16 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
17 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
18 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
19 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
20 Degeneração macular: A degeneração macular destrói gradualmente a visão central, afetando a mácula, parte do olho que permite enxergar detalhes finos necessários para realizar tarefas diárias tais como ler e dirigir. Existem duas formas - úmida e seca. Na forma úmida, há crescimento anormal de vasos sanguíneos no fundo do olho, podendo extravasar fluidos que prejudicam a visão central. Na forma seca, que é a mais comum e menos grave, há acúmulo de resíduos do metabolismo celular da retina, aliado a graus variáveis de atrofia do tecido retiniano, causando uma perda visual central, de progressão lenta, podendo dificultar a realização de algumas atividades como ler e escrever ou a identificação de traços de fisionomia.
21 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
22 Vasos sangüíneos: Órgãos em forma de tubos que se ramificam por todo o organismo. Existem três tipos principais de vasos sangüíneos que são as artérias, veias e capilares.
23 Visão central: Visão central é aquela na qual a imagem cai no centro da retina, em uma área chamada mácula. Esta visão é cheia de detalhes.
24 Azia: Pirose. Sensação de dor epigástrica semelhante a uma queimadura, geralmente acompanhada de regurgitação de suco gástrico para dentro do esôfago.
Gostou do artigo? Compartilhe!