Gostou do artigo? Compartilhe!

Autoridades americanas aprovam pílula de dose diária contra a Aids

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A primeira pílula que combina três medicamentos contra a Aids e deve ser tomada apenas uma vez ao dia acaba de ser aprovada  pelas autoridades norte-americanas. Atualmente, os pacientes precisam recorrer a coquetéis com várias drogas. O Atripla, que contém o Sustiva (da Bristol-Myers Squibb), o Viread e o Emtriva (ambos da Gilead) é mais um passo para facilitar o controle do vírus1 HIV2 nos pacientes, um processo que no passado chegou a incluir dezenas de comprimidos por dia.

Especialistas esperam que essa conveniente forma ajude os pacientes a manterem o tratamento e a serem pontuais na medicação, fatores importantes para evitar que o HIV2 desenvolva resistência às drogas.

As três drogas combinadas no Atripla são os medicamentos mais prescritos para pacientes3 no início do tratamento. Outras combinações estão sendo estudadas. Os laboratórios estimam que o Atripla custará cerca de U$1.150 por caixa (para 30 dias) e estará disponível nos EUA em sete dias úteis. O Viread e o Emtriva já aparecem em um único comprimido, o Truvada, que foi lançado no ano passado e deve vender 1 bilhão de dólares em 2006. Os três medicamentos da pílula funcionam bloqueando a transcriptase reversa, uma enzima4 da qual o HIV2 precisa para se replicar. A decisão de do FDA também permite que o comprimido fique disponível em um programa dos EUA para tratar a Aids em 15 países.

Como em outros remédios para a Aids, os pacientes podem desenvolver uma tolerância e precisarem de outra combinação. Os efeitos colaterais5 do Atripla podem incluir sonhos anormais, alucinações6 e problemas renais. Em grávidas, pode causar problemas congênitos7.

Fonte: FDA

NEWS.MED.BR, 2006. Autoridades americanas aprovam pílula de dose diária contra a Aids. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1334/autoridades-americanas-aprovam-pilula-de-dose-diaria-contra-a-aids.htm>. Acesso em: 30 mar. 2020.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
4 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
5 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
6 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
7 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
Gostou do artigo? Compartilhe!