Gostou do artigo? Compartilhe!

Cientistas dos Estados Unidos modificam molécula da vancomicina aumentando sua atividade contra superbactérias

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Acredita-se que uma versão modificada do antibiótico vancomicina seja muito mais eficaz na luta contra a bactéria1 Enterococci, que é encontrada em hospitais e pode causar graves infecções2. A droga, que tem sido usada há 60 anos, é descrita como um antibiótico de último recurso, usada apenas após falha do tratamento com outros antibióticos. Mas algumas infecções2 tornaram-se resistentes mesmo à vancomicina na sua forma atual.

A equipe de pesquisa do The Scripps Research Institute em San Diego, Califórnia, descreveu a nova droga como "mágica" em sua força, já que a vancomicina passa a ser uma ameaça tripla para infecções2 resistentes, agindo de três formas diferentes e dificultando a resistência das bactérias ao antibiótico. No entanto, pode levar anos até a conclusão dos ensaios clínicos3 necessários para transformar a descoberta de laboratório em um medicamento produzido em massa.

O estudo, publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, diz que a modificação na estrutura da molécula da vancomicina, aumentando sua potência antimicrobiana e sua durabilidade, aumenta em 1000 vezes a sua atividade para combater uma infecção4.

"Os microrganismos simplesmente não podem trabalhar simultaneamente para encontrar um meio de enfrentar três mecanismos de ação independentes", disse Dale Boger, que liderou a pesquisa e é co-presidente do departamento de química do The Scripps Research Institute. "Mesmo que eles encontrem uma solução para um desses mecanismos, ainda seriam mortos pelos outros dois".

Embora promissora, a droga reestruturada não é eficaz contra todos os tipos de bactérias resistentes e não vai curar a resistência aos antibióticos. Esta vem aumentando para níveis perigosamente elevados em todo o mundo, ameaçando a capacidade de tratar infecções2 comuns, como pneumonia5, tuberculose6, gonorreia7 e septicemia8, adverte a Organização Mundial da Saúde9.

Veja mais sobre "Pneumonia5", "Tuberculose6", "Gonorreia7", "Infecção4 hospitalar" e "Septicemia8".

 

Fonte: PNAS, publicação online em 30 de maio de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Cientistas dos Estados Unidos modificam molécula da vancomicina aumentando sua atividade contra superbactérias. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1298268/cientistas-dos-estados-unidos-modificam-molecula-da-vancomicina-aumentando-sua-atividade-contra-superbacterias.htm>. Acesso em: 19 ago. 2019.

Complementos

1 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
6 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
7 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
8 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!